0:00
0:00

Linha de defesa de Temer falará em operação controlada sem autorização judicial

  • Por Jovem Pan
  • 06/09/2017 08h29
Antonio Cruz/Agência BrasilO fato seria, segundo a defesa, suficiente para anular os atos decorrentes da gravação

A defesa do presidente Michel Temer vai se concentrar em questionar, perante o Supremo Tribunal Federal, o fato de que a gravação feita por Joesley Batista na conversa com o peemedebista em 07 de março foi feita sob a orientação de um procurador da República, mas sem a autorização da Corte.

A linha de argumentação será de que o presidente foi alvo de uma “operação controlada” sem autorização judicial. O fato seria, segundo a defesa, suficiente para anular os atos decorrentes da gravação, inclusive a denúncia contra Temer apresentada por Rodrigo Janot.

A defesa do presidente pode contar com um Supremo que está irritado com o conteúdo das gravações e as menções aos ministros da Corte.

Confira o comentário completo de Vera Magalhães: