Lula inventa a “showmissa” e usa nome da mulher para filme político

  • Por Jovem Pan
  • 07/04/2018 10h30
EFE/Sebastião MoreiraManifestantes apoiadores de Lula durante ato em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, nesta sexta (6)

Depois do velório com comício, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva inventou a “showmissa”, diz a colunista Jovem Pan Vera Magalhães sobre a missa em homenagem ao aniversário de nascimento da ex-primeira-dama Marisa Letícia, que terá ao menos nove apresentações musicais, em São Bernardo do Campo, neste sábado (7). O evento deve preceder a entrega de Lula à Polícia Federal.

Há a informação de que Lula usa o cenário para gravar vídeos que depois serão usados na campanha presidencial deste ano. A “showmissa” é também locação para construir o discurso de vitimização e martirização do petista. “A religião está sendo usada como pano de fundo político e os apoiadores, como figurantes de um filme de marketing eleitoral”, aponta a comentarista.

“É lamentável a memória da mulher valer de palco político do marido condenado”, afirma. Uma missa geralmente é feita em memória, e não para servir de escudo aos vivos. “É um espetáculo dantesco e lastimável”, classifica Vera.

A prorrogação desse “teatro” é, na verdade, o descumprimento de uma ordem judicial.

A colunista destaca também que agressões a repórteres que cobrem a ocupação no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC ocorrem desde quinta-feira (5) à noite. Um sindicato, que deveria ser um espaço democrático de movimentação de trabalhadores, tornou-se um “bunker” usado por Lula e hostil a profissionais da imprensa.

Ouça o comentário completo: