Parlamentares devem ir até o fim para conseguir aprovar fundo público de financiamento

  • Por Jovem Pan
  • 25/08/2017 07h59
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência BrasilSe não fosse o interesse dos parlamentares no financiamento de campanha, a tendência é que tudo continuaria como está, segundo Vera Magalhães

Até o momento não se teve um consenso para votar a criação de um fundo público para financiar as campanhas eleitorais. O valor de R$ 3,6 bilhões revoltou eleitores, mas ao que tudo indica, deve ser aprovado um fundo com R$ 2 bilhões.

Se não fosse o interesse dos parlamentares no financiamento de campanha, a tendência é que tudo continuaria como está. Mas como se trata do dinheiro para eles, é possível que eles tentem até o último momento aprovar o fundo, já que a doação por empresas é inconstitucional segundo decisão do Supremo Tribunal Federal.

A sociedade, como já dito, não está aceitando a criação deste fundo e o cidadão de bem não está disposto a doar a candidatos com nomes atingidos na Operação Lava Jato, por exemplo.

A comentarista Vera Magalhães destaca que cabe dizer que a democracia tem um custo e cabe a alguém pagar por isso. “Sou contra um fundo público de financiamento, porém, diante de impasse a gente tem que se posicionar e dizer que a democracia deve ser custeada”, diz Vera Magalhães.

Confira o comentário completo de Vera Magalhães: