Sarney é imortal da Academia Brasileira de Letras e, aparentemente, da política

  • Por Jovem Pan
  • 03/01/2018 08h01

Jefferson Rudy/Agência Senado

Ele vetou o nome de ao Ministério do Trabalho porque o deputado não faz parte de seu grupo político

Em entrevista o deputado Pedro Fernandes (PTB-MA) afirmou que não será mais o ministro do Trabalho do Governo Temer e atribuiu a mudança a um veto por parte do ex-presidente José Sarney (PMDB-MA). Por sua vez, o peemedebista negou o veto.

Sarney é imortal da Academia Brasileira de Letras e aparentemente também da política brasileira. Continua indicando diretores da Polícia Federal e vetando indicação de ministros.

Ele vetou o nome de ao Ministério do Trabalho porque o deputado não faz parte de seu grupo político.

Com isso, os nomes prováveis para o comando da pasta continuam no PTB, mas a lista não melhora muito. O PTB, que tem prerrogativa de preencher a vaga, indica é deputado Sergio Morais (RS), cujo maior feito político foi dizer que estava se lixando para a opinião pública.

Ministros não estavam satisfeitos com o nome apresentado pelo PTB, mas dizem que a vaga cabe ao partido, que tem sido importante na contagem de votos ao Congresso e que nome que apresentarem deve ser aceito. Mas, por enquanto, as opções não são muito auspiciosas.

Os impasses também podem influir nos debates da reforma da Previdência. O ministro que saiu, Ronaldo Nogueira, não era entusiasta. Pedro Fernandes também não se comprometia a fechar questão sobre o assunto. Esse impasse acaba desestabilizando a base. O cronograma está apertado, e o Governo já cogita novo adiamento.

Confira o comentário completo de Vera Magalhães: