0:00
0:00

Torquato Jardim não pode ser falastrão com declarações bombásticas e não fazer nada

  • Por Jovem Pan
  • 01/11/2017 08h47

Marcelo Camargo/Agência Brasil

Se Torquato Jardim faz esse tipo de acusação, diz que isso já é sabido, ele tem de ir forçosamente abrir uma investigação

Após o ministro da Justiça, Torquato Jardim, declarar que “hoje, comandantes de batalhão são sócios do crime organizado no Rio”, a cúpula de Segurança no Estado criticou a fala do chefe da pasta.

O temor do Governo federal e de agentes que atuam no combate ao crime é de que a fala do ministro pode ter impactos na segurança. As acusações feitas pelo ministro foram consideradas um erro pelo próprio Governo federal.

Passar o Brasil a limpo não pode ser apenas um bordão. Ainda mais em se tratando de um ministro da Justiça. Se Torquato Jardim faz esse tipo de acusação, diz que isso já é sabido, ele tem de ir forçosamente abrir uma investigação. Que ele faça operação da PF para desbaratar essa associação criminosa.

Se existe crime, tem crimes federais envolvidos, e isso diz respeito ao Ministério da Justiça. O ministro não pode ficar na verborragia, ele está no Ministério da Justiça, que tem faceta política, técnica e interface com o poder Judiciário. Não pode ser um ministro falastrão que faz declarações bombásticas e fica por isso mesmo.

Ele deve dizer quais as informações de inteligência, para onde elas apontam. Se o ministro sabe, e com as prerrogativas que tem, ele deveria, por favor, agir.

A sensação é de desamparo, porque sabe que há essa associação criminosa e não faz absolutamente nada. A declaração dele nos coloca no pior dos mundos.

Assista ao comentário completo de Vera Magalhães: