O ensino brasileiro passará por uma grande mudança a partir de 2015. Isso porque, naquele ano, os livros didáticos das redes públicas passarão a ser organizados de maneira diferente, mais adequada aos moldes do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Para a doutora em educação e consultora Jovem Pan Andrea Ramal, a transformação é extremamente benéfica.

“A mudança em si é positiva. O ENEM não é organizado por disciplinas divididas, é organizado em áreas de conhecimento: matemática e tecnologias, ciências humanas e tecnologias, linguagem e códigos, e ciências da natureza. As perguntas não são separadas, elas interligam os conhecimentos dessas áreas. E o problema da escola é que ela ainda não trabalha assim. Os livros didáticos adequados a esse outro tipo de tratamento do conhecimento podem favorecer a modernização das práticas nas escolas. É uma vantagem para os estudantes. O problema é que nem todos os professores estão capacitados a trabalhar assim”, disse.

Ouça a íntegra no áudio.