A Força-Tarefa de Serviços Preventivos dos EUA concluiu que não temos prova científica sobre o valor real dessa triagem para deficiência de vitamina D em pessoas que não estão grávidas, ou adultos e idosos que vivem na comunidade.

Essa força tarefa, órgão importante dos EUA que reúne experts, avalia tudo o que tem cientificamente atualizado e divulga um documento.

Eles não encontraram benefícios do tratamento oral de vitamina D, com ou sem cálcio, na diminuição do risco de fraturas e os efeitos desse tratamento sobre o risco de queda foram inconsistentes.

Também foi observada uma total falta de conhecimento sobre os níveis ideais de vitamina D. Então quando um laboratório diz que você está com um nível abaixo, esse valor não é um consenso ainda.

As grandes sociedades médicas não recomendam o rastreamento de rotina para a deficiência de vitamina D.