Nesta edição do Enoteca Jovem Pan, o enófilo Esper Chacur analisa vinhos de regiões pouco convencionais.Confira abaixo:

Tunísia: o vinho aguava um pouco na boca, mas longe de ter defeito. O destaque é para a acidez.

Peru: ele se aproxima do vinho globalizado, com bastante fruta extraída e um álcool que chega a incomodar.

México: é absolutamente desprezível. Sem qualidades, especialmente em relação ao preço: em torno de 35 dólares.

Turquia: muito ruim, deliberadamente não se deve bebê-los. São capazes de estragar refeições.

Israel: primam pela elegância, delicadeza e minerabilidade.

Líbano: é o que mais temos de próximo ao Bordeaux

Armênia: muito bom, nada globalizado e absolutamente gastronômico.

Inglaterra: existe e definitivamente não vale a pena.

Ouça todas as dicas no áudio completo.