Central Jovem Pan

Sobre

"São Paulo que amanhece trabalhando 
São Paulo que não sabe adormecer 
Porque durante a noite paulista vai pensando 
Nas coisas que de dia vai fazer  
São Paulo todo frio quando amanhece 
Correndo no seu tanto que fazer 
Na reza do paulista trabalho é o padre nosso 
É a prece de quem luta e quer vencer"

Todos os dias, ao ligar o rádio na Jovem Pan, os paulistanos sabem que a cidade será destaque no noticiário. A própria música-tema da emissora, ao descrever o corre-corre das pessoas que fazem a vida da maior metrópole da América Latina, deixa claro o compromisso de informar o que de mais importante acontece por aqui. Afinal, São Paulo é o espelho do Brasil: une nordestinos, sulistas, nortistas... Acolhe todos aqueles que vêm do Interior do Estado tentar a vida na Capital. E, como diz a música de Billy Blanco, está sempre pronta para recompensar quem dá duro no trabalho e luta para sobreviver.

A Rádio Jovem Pan de São Paulo revolucionou a radiodifusão brasileira ao optar, no início dos anos 70, por um jornalismo atuante e participativo, seguido por intensa prestação de serviços que se transformou em um marco da história do radiojornalismo do país. O nome Jovem Pan se transformou num sinônimo de notícia e credibilidade, de jornalismo dinâmico e informação correta. Esse trabalho pioneiro tornou-se um modelo para as emissoras concorrentes. É lugar comum dizer que onde está o fato, lá também está o microfone da Jovem Pan. A emissora criou um novo estilo de rádio, especialmente no que diz respeito à prestação de serviço, que representa um canal aberto da população com as autoridades da cidade, do Estado e do país.

O compromisso da Rádio Jovem Pan com a notícia é o princípio fundamental no qual se baseia a filosofia de trabalho da emissora em testemunhar os fatos, participando e fazendo do ouvinte um agente atuante da própria história. O jornalismo dinâmico e atualizado da Jovem Pan envolve todos os segmentos sociais, políticos e econômicos 24 horas por dia, na transmissão de noticiosos como o "Jornal da Manhã", o "Jornal Jovem Pan" e o jornal "Hora da Verdade", além do noticioso "Ligação Brasil", de hora em hora, contando com reportagens realizadas em todos os horários pelas ruas da cidade, entidades representativas, casas legislativas, envolvendo entrevistas com autoridades, incluindo exclusivas com ministros de Estado e outros integrantes do Executivo, Legislativo e de todos os segmentos da vida do país.

Some-se a isso a prestação de serviço desenvolvida pela Jovem Pan, trabalho que envolve a população em campanhas em vários setores, como a saúde, em especial a luta contra as drogas, educação, impostos, transportes, segurança, defesa do consumidor, numa verdadeira cobrança aos responsáveis que prestam contas nos microfones da Jovem Pan, encaminhando soluções para problemas da cidade e do cidadão. Essa prestação de serviço, associada à informação precisa e esclarecedora, também abrange o setor de Esportes da Jovem Pan, com a transmissão de jogos, Fórmula 1, além de competições do esporte amador realizadas no Brasil e no exterior, seguindo a filosofia de trabalho implantada por Paulo Machado de Carvalho, o Marechal da Vitória *, que tantas conquistas proporcionou ao Brasil no campo dos Esportes, por seu espírito dinâmico, romântico e empreendedor.

O trabalho da Rádio Jovem Pan atende aos anseios de seus ouvintes: "nosso público é exigente, quer a melhor informação, o jornalismo correto e analítico. Por esse motivo, a Jovem Pan se desdobra e está sempre à frente de seu tempo, com iniciativas pioneiras que se tornaram norma básica nesta casa", diz o diretor-presidente da emissora, Antonio Augusto Amaral de Carvalho - o Tuta - acrescentando que a credibilidade da Jovem Pan vem da informação responsável e sem distorções, que analisa e esclarece com a atenção voltada exclusivamente ao ouvinte, o que representa uma forma de atuação no seu próprio tempo.

A história da rádio Jovem Pan de São Paulo começou no dia 3 de maio de 1944, quando foi inaugurada - como Rádio Panamericana S.A. - na sua primeira sede, rua São Bento, 279. Teve como prefixo as primeiras notas da Quinta Sinfonia de Beethoven que, no código morse, representavam o "V" da Vitória. Em novembro desse mesmo ano, a emissora foi comprada por Paulo Machado de Carvalho, passando a integrar o Grupo das Emissoras Unidas.

Em 1945, a Panamericana - que nasceu para transmitir novelas - foi transformada em "a emissora dos esportes", por Paulo Machado de Carvalho, com o projeto executado pelo então empossado diretor-geral Paulo Machado de Carvalho Filho, o Paulinho. Antonio Augusto Amaral de Carvalho - o Tuta - começou a trabalhar na Panamericana em 1949. Três anos depois, Paulo Machado de Carvalho Filho deixou a emissora e foi para a Rádio Record. A direção geral foi, então, assumida por Tuta, que na época tinha apenas 21 anos de idade. Ainda em 1952, a Panamericana saiu da rua São Bento e se instalou da rua Riachuelo, 275 - 13º andar. Um ano depois, em 1953, Tuta deixou assumiu a programação da TV Record, canal 7 de São Paulo, que iniciava suas transmissões. Em 1954, a Panamericana mudou suas instalações da rua Riachuelo para a Avenida Miruna, 713, no bairro do Aeroporto, onde se concentrava o grupo das Emissoras Unidas.

O nome "Jovem Pan" surgiu em 1965, dado por Paulo Machado de Carvalho. A grande transformação da Panamericana começou em 1966, sob a direção de Tuta. Já com o nome de Jovem Pan, a rádio iniciou vários programas com ídolos da música popular brasileira que, na época, faziam grande sucesso na TV Record. Os programas jornalísticos foram criados em 1970, 71 e 72, período em que surgiram a "Equipe Sete e Trinta", o "Jornal de Integração Nacional" e, finalmente, o "Jornal da Manhã", que até hoje é uma referência no jornalismo de rádio em todo o país.

Em 1973, Antonio Augusto Amaral de Carvalho deixou a TV Record para se dedicar exclusivamente à Rádio Panamericana-Jovem Pan. Nesse mesmo ano, adquiriu as ações da emissora dos irmãos Paulo Machado de Carvalho Filho e Alfredo de Carvalho, tornando-se seu único proprietário. Em 1976, a Jovem Pan deixou a avenida Miruna, e se instalou da avenida Paulista, 807, 24º andar. Ainda neste ano, foi inaugurada a Jovem Pan 2 FM, com sede no mesmo local.

Em 1993, a emissora iniciou o Projeto Jovem Pan-SAT, que teve sua implantação em 1994, com sinal de áudio totalmente digital, transmitindo via satélite para várias regiões do país.

Eleita a emissora-símbolo de São Paulo, a Jovem Pan tornou-se uma referência no radiojornalismo brasileiro com uma programação dinâmica e uma prestação de serviço abrangente ligada aos anseios da população. Atuante e participativa, a Jovem Pan vive dentro de seu tempo, é testemunha de seu tempo. E como testemunha de seu tempo, alargou suas fronteiras. Hoje está presente em várias regiões do país, através do sistema SAT, levando a informação imediata e correta dos fatos nacionais e internacionais, por meio do trabalho de correspondentes em Brasília, Rio de Janeiro e outras capitais brasileiras, além de profissionais que, com exclusividade, informam todos os dias e em vários horários da Europa e dos Estados Unidos. Para a Jovem Pan, o jornalismo é um fato social fundamental para a vida moderna. A Jovem Pan-SAT interliga e revela o país pela informação, cumprindo, assim, sua função de formar a opinião pública diante dos fatos.

Em outubro de 1996, a rádio implantou o portal Jovem Pan Online, que traz para a Internet a agilidade e a prestação de serviços, que são as marcas registradas da Rádio Jovem Pan AM.

Em setembro de 2007, a Jovem Pan criou a JP Online Vídeos, uma WebTV com conteúdo jornalístico e de variedades, sob a direção de vídeos de Nilton Travesso, um dos diretores mais experientes da televisão brasileira.

Num país em desenvolvimento como o Brasil, o rádio e a Internet têm um papel fundamental para unir a opinião pública em torno dos grandes temas nacionais, sendo o elo entre a sociedade e os poderes constituídos, com o papel de aglutinar a população em torno dos interesses maiores do país. Dentro deste contexto, a Jovem Pan sempre cumpriu e cumpre seu papel diante da sociedade.

A trajetória de mais de meio século da Rádio Jovem Pan de São Paulo na história da radiodifusão do Brasil representa um marco nas comunicações do país, condição que se conquista sobretudo por um trabalho sério e responsável, que não faz e nunca fez concessões às facilidades, preferindo sempre a tarefa árdua do esclarecimento e da informação correta, imediata e justa a serviço do homem, perseverança que revela os princípios e a filosofia da Jovem Pan, fundamentais para uma empresa moderna que tem consciência de sua função no país.

Todos os dias, ao ligar o rádio na Jovem Pan, os paulistanos sabem que a cidade será destaque no noticiário. A própria música-tema da emissora, ao descrever o corre-corre das pessoas que fazem a vida da maior metrópole da América Latina, deixa claro o compromisso de informar o que de mais importante acontece por aqui. Afinal, São Paulo é o espelho do Brasil: une nordestinos, sulistas, nortistas... Acolhe todos aqueles que vêm do Interior do Estado tentar a vida na Capital. E, como diz a música de Billy Blanco, está sempre pronta para recompensar quem dá duro no trabalho e luta para sobreviver.

A Rádio Jovem Pan de São Paulo revolucionou a radiodifusão brasileira ao optar, no início dos anos 70, por um jornalismo atuante e participativo, seguido por intensa prestação de serviços que se transformou em um marco da história do radiojornalismo do país. O nome Jovem Pan se transformou num sinônimo de notícia e credibilidade, de jornalismo dinâmico e informação correta. Esse trabalho pioneiro tornou-se um modelo para as emissoras concorrentes. É lugar comum dizer que onde está o fato, lá também está o microfone da Jovem Pan. A emissora criou um novo estilo de rádio, especialmente no que diz respeito à prestação de serviço, que representa um canal aberto da população com as autoridades da cidade, do Estado e do país.

O compromisso da Rádio Jovem Pan com a notícia é o princípio fundamental no qual se baseia a filosofia de trabalho da emissora em testemunhar os fatos, participando e fazendo do ouvinte um agente atuante da própria história. O jornalismo dinâmico e atualizado da Jovem Pan envolve todos os segmentos sociais, políticos e econômicos 24 horas por dia, na transmissão de noticiosos como o "Jornal da Manhã", o "Jornal Jovem Pan" e o jornal "Hora da Verdade", além do noticioso "Ligação Brasil", de hora em hora, contando com reportagens realizadas em todos os horários pelas ruas da cidade, entidades representativas, casas legislativas, envolvendo entrevistas com autoridades, incluindo exclusivas com ministros de Estado e outros integrantes do Executivo, Legislativo e de todos os segmentos da vida do país.

Some-se a isso a prestação de serviço desenvolvida pela Jovem Pan, trabalho que envolve a população em campanhas em vários setores, como a saúde, em especial a luta contra as drogas, educação, impostos, transportes, segurança, defesa do consumidor, numa verdadeira cobrança aos responsáveis que prestam contas nos microfones da Jovem Pan, encaminhando soluções para problemas da cidade e do cidadão. Essa prestação de serviço, associada à informação precisa e esclarecedora, também abrange o setor de Esportes da Jovem Pan, com a transmissão de jogos, Fórmula 1, além de competições do esporte amador realizadas no Brasil e no exterior, seguindo a filosofia de trabalho implantada por Paulo Machado de Carvalho, o Marechal da Vitória *, que tantas conquistas proporcionou ao Brasil no campo dos Esportes, por seu espírito dinâmico, romântico e empreendedor.

O trabalho da Rádio Jovem Pan atende aos anseios de seus ouvintes: "nosso público é exigente, quer a melhor informação, o jornalismo correto e analítico. Por esse motivo, a Jovem Pan se desdobra e está sempre à frente de seu tempo, com iniciativas pioneiras que se tornaram norma básica nesta casa", diz o diretor-presidente da emissora, Antonio Augusto Amaral de Carvalho - o Tuta - acrescentando que a credibilidade da Jovem Pan vem da informação responsável e sem distorções, que analisa e esclarece com a atenção voltada exclusivamente ao ouvinte, o que representa uma forma de atuação no seu próprio tempo.

A história da rádio Jovem Pan de São Paulo começou no dia 3 de maio de 1944, quando foi inaugurada - como Rádio Panamericana S.A. - na sua primeira sede, rua São Bento, 279. Teve como prefixo as primeiras notas da Quinta Sinfonia de Beethoven que, no código morse, representavam o "V" da Vitória. Em novembro desse mesmo ano, a emissora foi comprada por Paulo Machado de Carvalho, passando a integrar o Grupo das Emissoras Unidas.

Em 1945, a Panamericana - que nasceu para transmitir novelas - foi transformada em "a emissora dos esportes", por Paulo Machado de Carvalho, com o projeto executado pelo então empossado diretor-geral Paulo Machado de Carvalho Filho, o Paulinho. Antonio Augusto Amaral de Carvalho - o Tuta - começou a trabalhar na Panamericana em 1949. Três anos depois, Paulo Machado de Carvalho Filho deixou a emissora e foi para a Rádio Record. A direção geral foi, então, assumida por Tuta, que na época tinha apenas 21 anos de idade. Ainda em 1952, a Panamericana saiu da rua São Bento e se instalou da rua Riachuelo, 275 - 13º andar. Um ano depois, em 1953, Tuta deixou assumiu a programação da TV Record, canal 7 de São Paulo, que iniciava suas transmissões. Em 1954, a Panamericana mudou suas instalações da rua Riachuelo para a Avenida Miruna, 713, no bairro do Aeroporto, onde se concentrava o grupo das Emissoras Unidas.

O nome "Jovem Pan" surgiu em 1965, dado por Paulo Machado de Carvalho. A grande transformação da Panamericana começou em 1966, sob a direção de Tuta. Já com o nome de Jovem Pan, a rádio iniciou vários programas com ídolos da música popular brasileira que, na época, faziam grande sucesso na TV Record. Os programas jornalísticos foram criados em 1970, 71 e 72, período em que surgiram a "Equipe Sete e Trinta", o "Jornal de Integração Nacional" e, finalmente, o "Jornal da Manhã", que até hoje é uma referência no jornalismo de rádio em todo o país.

Em 1973, Antonio Augusto Amaral de Carvalho deixou a TV Record para se dedicar exclusivamente à Rádio Panamericana-Jovem Pan. Nesse mesmo ano, adquiriu as ações da emissora dos irmãos Paulo Machado de Carvalho Filho e Alfredo de Carvalho, tornando-se seu único proprietário. Em 1976, a Jovem Pan deixou a avenida Miruna, e se instalou da avenida Paulista, 807, 24º andar. Ainda neste ano, foi inaugurada a Jovem Pan 2 FM, com sede no mesmo local.

Em 1993, a emissora iniciou o Projeto Jovem Pan-SAT, que teve sua implantação em 1994, com sinal de áudio totalmente digital, transmitindo via satélite para várias regiões do país.

Eleita a emissora-símbolo de São Paulo, a Jovem Pan tornou-se uma referência no radiojornalismo brasileiro com uma programação dinâmica e uma prestação de serviço abrangente ligada aos anseios da população. Atuante e participativa, a Jovem Pan vive dentro de seu tempo, é testemunha de seu tempo. E como testemunha de seu tempo, alargou suas fronteiras. Hoje está presente em várias regiões do país, através do sistema SAT, levando a informação imediata e correta dos fatos nacionais e internacionais, por meio do trabalho de correspondentes em Brasília, Rio de Janeiro e outras capitais brasileiras, além de profissionais que, com exclusividade, informam todos os dias e em vários horários da Europa e dos Estados Unidos. Para a Jovem Pan, o jornalismo é um fato social fundamental para a vida moderna. A Jovem Pan-SAT interliga e revela o país pela informação, cumprindo, assim, sua função de formar a opinião pública diante dos fatos.

Em outubro de 1996, a rádio implantou o portal Jovem Pan Online, que traz para a Internet a agilidade e a prestação de serviços, que são as marcas registradas da Rádio Jovem Pan AM.

Em setembro de 2007, a Jovem Pan criou a JP Online Vídeos, uma WebTV com conteúdo jornalístico e de variedades, sob a direção de vídeos de Nilton Travesso, um dos diretores mais experientes da televisão brasileira.

Num país em desenvolvimento como o Brasil, o rádio e a Internet têm um papel fundamental para unir a opinião pública em torno dos grandes temas nacionais, sendo o elo entre a sociedade e os poderes constituídos, com o papel de aglutinar a população em torno dos interesses maiores do país. Dentro deste contexto, a Jovem Pan sempre cumpriu e cumpre seu papel diante da sociedade.

A trajetória de mais de meio século da Rádio Jovem Pan de São Paulo na história da radiodifusão do Brasil representa um marco nas comunicações do país, condição que se conquista sobretudo por um trabalho sério e responsável, que não faz e nunca fez concessões às facilidades, preferindo sempre a tarefa árdua do esclarecimento e da informação correta, imediata e justa a serviço do homem, perseverança que revela os princípios e a filosofia da Jovem Pan, fundamentais para uma empresa moderna que tem consciência de sua função no país.

Publicidade

MERCADO FINANCEIRO

IBOVESPA

2,23%

28/09/2014 17:49
Moeda Compra
EURO R$
DÓLAR R$

AS MAIS LIDAS