Depois das delações premiadas que sacudiram o governo do presidente Michel Temer (PMDB) e causaram o afastamento do senador Aécio Neves (PSDB), os donos do grupo JBS, Wesley e Joesley Batista poderão ficar livres de denúncias do Ministério Público Federal.

No 3 em 1 desta sexta-feira (19), Vera Magalhães, Carlos Andreazza e Marcelo Madureira questionaram os termos dos acordos fechados pelos executivos e os benefícios permitidos pela Justiça.

Andreazza afirmou que o acordo de delação de Joesley Batista é "o melhor da história". Segundo ele, a multa a ser paga é "dinheiro de pinga" para o empresário.

Madureira apontou que, às custas dos crimes praticados, Joesley conseguiu multiplicar em 20 vezes o tamanho da JBS. Para o comentarista, o empresário agora vai usufruir do "investimento" feito na corrupção.

Vera questionou as circunstâncias dos acordos e ressaltou que se Joesley e Wesley ficarem imunes de processos, a delação se tornará um "bilhete premiado".

Confira o debate completo no 3 em 1: