Dallagnol volta às redes sociais e ironiza STF sobre afastamento de parlamentares: procurador almeja cargo político? 

  • Por Jovem Pan
  • 12/10/2017 20h02
Dallagnol afirmou: "Não surpreende que anos depois da Lava Jato os parlamentares continuem praticando crimes"
Depois do plenário do Supremo Tribunal Federal decidir por 6 votos a 5 que o Congresso deve dar a palavra final em casos de punições a parlamentares que impeçam o exercício do mandato, o coordenador da força-tarefa da operação Lava Jato, procurador Deltan Dallagnol foi às redes sociais criticar a determinação.
Dallagnol afirmou: “Não surpreende que anos depois da Lava Jato os parlamentares continuem praticando crimes: estão sob suprema proteção. Parlamentares têm foro privilegiado, imunidades contra prisão e agora uma nova proteção: um escudo contra decisões do STF, dado pelo próprio STF”.
No 3 em 1 desta quinta-feira, 12, Patrick Santos mediou debate entre Vera Magalhães, Carlos Andreazza e Marcelo Madureira, que discutiram sobre as costumeiras críticas do procurador da República.
Madureira concordou com Dallagnol, mas afirmou que, na posição em que está, o coordenador da Lava Jato deveria ser mais comedido nas manifestações. Andreazza ironizou o comentário de Dallagnol e sugeriu que o procurador pretende se candidatar ao Senado. Vera destacou que se o objetivo é combater a corrupção, o Supremo Tribunal Federal deve pautar e julgar os processos que existem a esse respeito.

Confira o debate completo no 3 em 1: