0:00
0:00

Day after da lista de Janot: Pedidos de inquérito caem como uma bomba em Brasília

  • Por Jovem Pan
  • 15/03/2017 20h05
Brasília- DF 26-08-2015 Foto Lula Marques/Agência PT Procurador Geral da república, Rodrigo Janot, durante sabatina do senado. Foto: Lula Marques/ Agência PTLula Marques/AGPTRodrigo Janot - Ag Brasil

Nesta quarta-feira, 15, o 3 em 1 destacou os efeitos da lista de pedidos de inquérito entregue pelo Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, ao Supremo Tribunal Federal. O documento, que foi montado a partir das delações premiadas de ex-executivos da Odebrecht, segue em sigilo, mas, alguns nomes acabaram vazando. Entre os alvos dos pedidos de inquérito estão os ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff, os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Moreira Franco (Secretaria Geral), Aloysio Nunes (Relações Exteriores), Gilberto Kassab (Ciência e Tecnologia) e Bruno Araújo (Cidades), os senadores José Serra (PSDB-SP), Aécio Neves (PSDB-MG), Romero Jucá (PMDB-RR), Renan Calheiros (PMDB-AL) e Edison Lobão (PMDB-MA). 

Também foram atingidos pela “lista de Janot” os presidentes do Senado, Eunício Oliveira (PMDB) e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), além dos ex-ministros petistas Guido Mantega e Antonio Palocci. Rodrigo Maia já cogitou retomar a pauta da anistia ao caixa dois, desde que o projeto tenha “nome, sobrenome e endereço”. 

Carlos Andreazza acredita que o efeito da “lista de Janot” sobre os políticos deve demorar. Marcelo Madureira apontou que a população precisa avaliar se os envolvidos devem ou não continuar na vida pública. Para Vera Magalhães, a partir de agora, o Congresso vai se dedicar em discutir medidas para ajudar os políticos a escapar das acusações. 

Confira a discussão completa no 3 em 1: