0:00
0:00

Palocci fala em “pacto de sangue” entre Lula e Emílio Odebrecht: é o fim do petista?

  • Por Jovem Pan
  • 07/09/2017 19h20
EFE/Sebastião MoreiraEm reação, o ex-presidente Lula divulgou nota afirmando que Palocci não tem compromisso em dizer a verdade

Depoimento do ex-ministro Antonio Palocci ao juiz Sérgio Moro caiu como uma bomba no PT. Ao quebrar o silêncio, Palocci falou em “pacto de sangue” entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e Emílio Odebrecht, que teria oferecido um “pacote de propinas” envolvendo o terreno da nova sede do Instituto Lula, o sítio em Atibaia e uma conta corrente com R$ 300 milhões à disposição do PT.

Em reação, o ex-presidente Lula divulgou nota afirmando que Palocci não tem compromisso em dizer a verdade. Já a ex-presidente Dilma Rousseff destacou que o ex-ministro está traçando uma estratégia para conseguir fechar um acordo de delação premiada.

No 3 em 1 desta quinta-feira, 7, Patrick Santos mediou debate entre Vera Magalhães, Carlos Andreazza e Marcelo Madureira, que discutiram a situação de Lula depois das acusações de Palocci.

Vera diz que Palocci usou uma retórica inflamada, diferentemente do que fazia quando era membro dos governos petistas. Para ela, o ex-ministro busca uma delação premiada.

Andreazza destacou que o depoimento de Palocci trata-se de uma confissão clássica, algo que foi esquecido no Brasil diante de tantas delações premiadas.

Madureira afirmou que o ex-ministro jogou uma bomba no PT. Para ele, Palocci percebeu que os companheiros o deixariam sozinho.

Confira o debate completo no 3 em 1: