Supremo marca para o dia 17 análise do caso Aécio

  • Por Jovem Pan
  • 10/04/2018 19h48
Agência SenadoO tucano foi denunciado no ano passado pela Procuradoria-Geral da República após a delação premiada dos empresários Joesley e Wesley Batista.
O ministro Marco Aurélio Mello incluiu na pauta da Primeira Turma da terça-feira que vem, dia 17, o inquérito contra o senador Aécio Neves por corrupção passiva e obstrução da Lava Jato.
O tucano foi denunciado no ano passado pela Procuradoria-Geral da República após a delação premiada dos empresários Joesley e Wesley Batista.
Aécio foi flagrado em gravação pedindo 2 milhões de reais a Joesley. O dinheiro foi entregue posteriormente ao primo do tucano, Frederico Pacheco, em uma ação filmada pela Polícia Federal.
A PGR afirma que era propina. O senador nega irregularidade, afirma que o dinheiro foi resultado de um empréstimo firmado entre ele e o empresário.
Se a Primeira Turma receber a denúncia, Aécio se tornará réu.
Além dele, também foram denunciados Andréa Neves, irmã do senador, Frederico Pacheco, primo dele, e Mendherson Souza Lima, assessor do senador Zezé Perrella, que é aliado de Aécio
No 3 em 1 desta terça-feira, 10, Patrick Santos mediou um debate sobre o assunto entre Vera Magalhães, Carlos Andreazza e Marcelo Madureira.
Madureira afirmou que a fila anda e Aécio Neves também deve ser julgado e, caso se justifique, que seja condenado e cumpra pena. Vera e Andreazza fizeram um debate sobre outro caso relacionado ao Supremo: o envio do ex-governador Sérgio Cabral a uma prisão do Rio de Janeiro.