0:00
0:00

Assista ao vivo

Temer instala “misturador de voz” em gabinete no Planalto. Presidente está inseguro?

  • Por Jovem Pan
  • 19/07/2017 19h00
Agência EFEPara evitar episódios parecidos com o das gravações de Joesley Batista, o Palácio do Planalto instalou no gabinete da Presidência um aparelho conhecido como "misturador de voz", que embaralha o conteúdo de conversas gravadas

Às vésperas da votação na Câmara que pode autorizar a instalação de uma investigação contra o presidente Michel Temer, advogados do peemedebista pediram ao Supremo Tribunal Federal, nesta quarta-feira, o acesso aos áudios que foram recuperados do gravador do dono da JBS, Joesley Batista.

A defesa de Temer cobra urgência devido à proximidade com a votação da denúncia da Procuradoria Geral da República, que deve ocorrer no início de agosto. Para evitar episódios parecidos com o das gravações de Joesley Batista, o Palácio do Planalto instalou no gabinete da Presidência um aparelho conhecido como “misturador de voz”, que embaralha o conteúdo de conversas gravadas.

No 3 em 1, Patrick Santos mediou o caloroso debate entre Vera Magalhães, Carlos Andreazza e Marcelo Madureira, que discutiram sobre a pressa do governo Temer para ter acesso aos áudios e a legalidade da medida para proteger as conversas do presidente.

Vera afirmou que não deveria ser permitido o uso de um aparelho para embaralhar conversas dentro do Palácio do Planalto. Para ela, não há porque usar um equipamento desse tipo se os diálogos estivessem no estrito cumprimento da lei.

Andreazza destacou que o uso da tecnologia é necessário para proteger a Presidência da República, mas que todas as conversas oficiais deveriam ser gravadas e arquivadas para que, no futuro, sejam divulgadas.

Madureira ressaltou que algumas conversas devem se manter em sigilo devido a questões do Estado, e que a medida ajuda a evitar vazamentos por terceiros.

Confira o debate completo no 3 em 1: