0:00
0:00

Confira aqui o que você não ouviu em “Os Pingos nos Is” de 17/03/2017

  • Por Jovem Pan
  • 17/03/2017 14h27

O que Reinaldo Azevedo, Victor LaRegina e Vitor Brown não comentaram nesta sexta-feira (17), você confere aqui:

CONTAS X DILMA-TEMER – Segundo a Folha, a conta bancária aberta pelo presidente Michel Temer para receber recursos para a campanha eleitoral de 2014 foi abastecida com depósitos que correspondem a 5,67% do total de R$ 350,4 milhões arrecadado pela chapa. De acordo com dados do TSE, o peemedebista tinha R$ 19,8 milhões numa agência do Banco do Brasil. Desse total, R$ 16,5 milhões foram destinados a diretórios do PMDB e a candidatos a governador, deputado e senador do partido nos Estados. Para sua própria campanha, o então vice-presidente destinou cerca de R$ 3 milhões. Esses valores serão usados pela defesa de Temer para provar que as contabilidades dos dois candidatos eram separadas.

DILMA X ENTREVISTA – Em entrevista ao jornal Valor Econômico, a ex-presidente Dilma afirmou que Michel Temer “é um cara extremamente frágil, fraco e medroso”. Ela disse ainda que as perguntas de Eduardo Cunha encaminhadas a Temer na Justiça indicam que o presidente roubava dinheiro na Caixa Econômica Federal. A presidente também afirmou que evitou que o ministro Moreira Franco “roubasse” os cofres públicos durante o governo dela. Sobre o ex-deputado Eduardo Cunha, a petista disse que não se aliou a ele porque não queria “assaltar o país.

CÁRMEN LÚCIA – A ministra Cármen Lúcia, presidente do STF, afirmou que já passou da hora de o país discutir o foro privilegiado. Sobre a reforma política, defendeu que o ideal seria fazer um referendo para saber se a população é a favor de mudanças. Depois de ter uma proposta elaborada, os brasileiros deveriam aprová-las em plebiscito. Em relação ao caixa 2, cobrou que “crimes sejam efetivamente apurados e punidos” e que “não existe essa história de caixa 1, ou caixa 2 ou caixa 3 se vier de dinheiro ilícito”.

ADRIANA ANCELMO – O juiz Marcelo Bretas, da Sétima Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, determinou a soltura da ex-primeira-dama do estado, Adriana Ancelmo, mulher de Sérgio Cabral. O magistrado determinou a conversão da prisão preventiva de Adriana em prisão domiciliar por entender que ela deve ficar em casa por ter dois filhos menores de idade, um de 11 e outro de 14.

YOUSSEF – Três anos depois de ser preso pela Lava Jato, Alberto Youssef conseguiu nesta sexta o direito de voltar às ruas. O doleiro, acusado de ser o principal operador de propinas no petrolão, conseguiu a progressão de regime e pode agora deixar seu apartamento, em São Paulo, onde cumpria prisão domiciliar. O benefício decorre do acordo de colaboração premiada que ele fechou com a força-tarefa do Ministério Público Federal.

TRUMP X MERKEL – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou, em entrevista coletiva ao lado da chanceler alemã, Angela Merkel, que imigração é um privilégio e não um direito dos cidadãos de outras nações. O republicano disse ainda que EUA e Alemanha devem trabalhar juntos para se protegerem de extremistas islâmico e derrotarem o Estado Islâmico.