0:00
0:00

Confira a edição completa de “Os Pingos nos Is” desta quinta-feira (20/04/2017)

  • Por Jovem Pan
  • 20/04/2017 14h35

Reinaldo Azevedo, Victor LaRegina e Vitor Brown comentaram os principais assuntos desta quinta-feira (20) em “Os Pingos nos Is”.

Em seu editorial de abertura, Reinaldo Azevedo falou sobre a decisão de um juiz do Rio de Janeiro que mandou soltar policiais que atiraram em homens no chão. Saiba mais no editorial completo.

FRANÇA – Um ataque a tiros deixou um policial e um suspeito mortos na avenida Champs-Elysées, em Paris, além de outros dois agentes feridos. Não há indícios sobre a motivação do ataque, a apenas três dias das eleições presidenciais na França. Um porta-voz do Ministério do Interior afirmou que era cedo para especular sobre o incidente, mas disse estar claro que policiais foram escolhidos como alvo de maneira deliberada. Uma fonte policial afirmou que o homem morto já era conhecido das autoridades. Dezenas de unidades policiais foram enviadas ao local e o comércio fechou as portas.

CABRAL – O juiz Marcelo Bretas aceitou ontem uma nova denúncia contra o ex-governador do Rio Sérgio Cabral, que se tornou réu pela sétima vez. Agora, ele é acusado de fraude em licitações e recebimento de propinas de 5% sobre o valor das obras de reforma do Maracanã e no PAC das Favelas. A reforma e modernização do estádio do Maracanã havia sido orçada em R$ 700 milhões, mas, com os aditivos, custou aos cofres públicos R$ 1,2 bilhão. Pelo menos R$ 35 milhões teriam sido pagos em propina.

PALOCCI – Em depoimento ao juiz Sérgio Moro, o ex-ministro Antônio Palocci afirmou que está à disposição para apresentar “nomes, endereços e operações realizadas” de “interesse da Lava Jato”. A declaração foi dada após Palocci ter negado que solicitou caixa dois a Odebrecht para as campanhas presidenciais ou que favoreceu a empresa em troca de recursos ilícitos. Palocci confirmou que teve reuniões com Marcelo Odebrecht, mas disse que nunca aceitou propina ou interferiu em assuntos do BNDES, Congresso e Petrobras para ajudar a empreiteira.

LULA X IBOPE – Segundo uma pesquisa do Ibope, o ex-presidente Lula voltou a ser o presidenciável com maior potencial de voto entre nove nomes testados pelo instituto, entre eles, Aécio Neves, Geraldo Alckmin e Marina Silva. Pela primeira vez desde 2015, os eleitores que dizem que votariam em Lula com certeza (30%) ou que poderiam votar (17%) se equivalem aos que não votariam de jeito nenhum (51%).

DORIA – O Ibope testou pela primeira vez o potencial do prefeito de São Paulo, João Doria. Embora seja muito menos conhecido do que seus colegas de PSDB (44% nunca ouviram falar nele), Doria tem 24% de eleitores potenciais – sendo que 12% votariam nele com certeza. Já 32% não votariam nele de jeito nenhum.