“É muito fácil ex-tenista criticar demais e não fazer nada”, desabafa Melo

  • Por Jovem Pan
  • 05/12/2017 14h44
ReproduçãoMarcelo Melo, tênisO mineiro Marcelo Melo, de 34 anos, é o atual número 1 do mundo no tênis entre os duplistas

As constantes críticas de ex-jogadores ao atual cenário do tênis brasileiro incomodam Marcelo Melo. A ponto de tirar o quase sempre contido mineiro de 34 anos do sério. Em participação exclusiva no Esporte em Discussão desta terça-feira, na Rádio Jovem Pan, o número 1 do mundo nas duplas desabafou e falou grosso contra os críticos do esporte no País.

“Não vou nomear ex-jogadores e dirigentes, mas eu não consigo entender o porquê de eles terem tanto prazer em fazer tantas críticas, sendo que eles foram tenistas… Pra quê criticar tanto? Parece que um quer tomar o posto do outro!”, disparou Melo.

Para o duplista, há um racha que prejudica o tênis brasileiro na atualidade. Sem citar nomes, Melo chegou até a dizer que “é muito fácil ex-tenista sentar em frente a um computador, criticar demais e não fazer nada”.

“Não consigo entender por que ex-tenistas e ex-dirigentes não trabalham juntos, em prol do tênis. Se eles fizessem isso, seria muito melhor. É muito fácil ex-tenista, e provavelmente eles vão saber de quem eu estou falando, chegar e dizer: o ‘tênis brasileiro não evolui, não está crescendo”. Mas o que ele está fazendo? É muito fácil sentar em frente a um computador, criticar demais e não fazer nada!”.

Melo também saiu em defesa da Confederação Brasileira de Tênis, entidade que é constantemente criticada por não apoiar os atletas e falhar no estímulo ao desenvolvimento do esporte no País.

“Muitos criticam a Confederação Brasileira de Tênis… Mas, hoje, querendo ou não, ela tem uma estrutura que ajuda juvenis, profissionais… Isso não existia lá atrás. Poderia ser melhor? Poderia! Mas essas pessoas, que são ex-tenistas, apagam o que a confederação faz hoje. Eu também falo que a confederação pode melhorar, mas não adianta a gente ficar só na crítica, porque aí um patrocinador vai querer patrocinar o tênis por quê? É importante que essas pessoas pensem mais em conjunto e na evolução do tênis em geral.”

Marcelo Melo, 34 anos, consolidou-se, em 2017, como um dos maiores nomes da história do tênis brasileiro. Tornou-se o primeiro homem nascido no País a faturar o título de Wimbledonficou com o vice do ATP Finals e encerrou a temporada na liderança do ranking de duplas da ATP.