Por mais receita, Santos mandará até clássicos em São Paulo

  • Por Jovem Pan
  • 14/12/2017 15h22
Pedro Ernesto Guerra Azevedo/ Divulgação Santos FCtorcida santos, santos, pacaembu,A partir de 2018, Santos vai disputar 50% de seus jogos como mandante em São Paulo

“Minha residência oficial é em São Paulo, mas eu também tenho um apartamento em Santos. Com certeza estarei perto do clube, mas entendo que o presidente do Santos não tem de, necessariamente, ficar sentado na cadeira 24 horas. Ele tem é de trabalhar 24 horas, independente de onde esteja”.

A declaração de José Carlos Peres, dita em participação exclusiva no Esporte em Discussão desta quinta-feira, na Rádio Jovem Pan, dá o tom de como pensa o novo presidente do Santos. Prestes a assumir o comando alvinegro, o empresário de 69 anos pretende “encurtar” a distância entre o clube litorâneo e a capital paulista.

O projeto de ter 50% dos jogos como mandante em São Paulo e 50% em Santos será posto em prática já em 2018, e até mesmo os clássicos serão afetados. Em busca de receitas, Peres revelou que o Peixe mandará “boa parte” das partidas mais importantes do ano, incluindo os duelos com Corinthians, Palmeiras e São Paulo, na cidade mais populosa do Brasil.

“Nós jogaremos onde o nosso público estiver, onde pudermos ganhar dinheiro. Vamos privilegiar isso. O pessoal de Santos não precisa ficar bravo, porque teremos jogos bons lá, também. Mas, hoje, a nossa missão é atrair receitas e novos torcedores, fazer com que o público volte a frequentar o estádio”.

“Tanto a Vila quanto o Pacaembu vão receber jogos importantes, mas clássicos uma boa parte vem para São Paulo, que é onde a gente vai obter um bom público e uma boa renda. Se for uma final, por exemplo, (o Santos poderá jogar) não só no Pacaembu, como no Morumbi, no Allianz Parque, em locais que comportem a nossa torcida. Eu peço para que o torcedor compreenda isso, porque não conheço nenhum clube que tenha um grande time sem ter uma grande receita”.

A divisão de 50% dos jogos como mandante em Santos e 50% em São Paulo foi o principal projeto da campanha de José Carlos Peres à presidência do Peixe. Ex-gerente de marketing internacional do clube, ele foi eleito no último sábado, mas só assume em 2 de janeiro. Enquanto isto, participa do processo de transição com Modesto Roma Júnior.