Alesp descarta votar inspeção veicular, mas Câmara de SP vota novo modelo na próxima semana

  • Por Jovem Pan
  • 16/11/2017 07h25
Agência Brasil/ArquivoDentre as punições previstas, o motorista que não passar pela avaliação de poluentes a cada dois anos estaria passível de uma multa de até R$ 5 mil

Assembleia Legislativa descarta votar inspeção veicular estadual, enquanto Câmara de São Paulo pretende aprovar novo modelo na próxima semana.

A vistoria na emissão de poluentes foi suspensa na gestão do prefeito Fernando Haddad (PT) sob alegação de suspeitas nos contratos do serviço.

O projeto exige a inspeção dos veículos emplacados na capital, a cada 2 anos, e também em ônibus fretados e caminhões em serviço à prefeitura.

O presidente da Câmara, Milton Leite (DEM), afirmou que a sua proposta será colocada em votação, após o feriado do dia 20 de novembro: “já discutido amplamente com os órgãos e parece consensual agora. Significa um avanço muito grande para São Paulo e servirá de espelho para todo o País”.

Também autor do projeto, o vereador Gilberto Natalini destacou que em 20 anos o diesel será banidos nos ônibus e caminhões com licença da prefeitura.

O parlamentar do PV espera que o governador Geraldo Alckmin apoie o projeto na Assembleia pelos malefícios sérios causados pela poluição motora.

A abrangência da lei em âmbito estadual garantiria uma redução de poluentes muito maior, mas o projeto “dorme” na Assembleia Legislativa há 8 anos.

O presidente da Alesp, Cauê Macris (PSDB), disse que não há consenso na casa para a votação e o tema não irá para discussão em plenário: “são várias divergências”.

Questionado sobre o retorno da inspeção em São Paulo, o prefeito João Doria afirmou ser favorável ao projeto, desde que não haja cobrança ao motorista.

Dentre as punições previstas, o motorista que não passar pela avaliação de poluentes a cada dois anos estaria passível de uma multa de até R$ 5 mil.

*Informações do repórter Marcelo Mattos