Brigada Militar convoca efetivo para reforçar segurança em Porto Alegre no dia 24

  • Por Jovem Pan
  • 12/01/2018 06h15

Reprodução/RBS TV

A orientação do comandante, coronel Jefferson de Barros, é que os servidores reagendem o descanso para depois do dia 25 de janeiro

Para reforçar a segurança durante o julgamento de Lula no TRF4, em Porto Alegre, o Comando de Policiamento da Capital, da Brigada Militar, suspendeu as férias dos policias militares na segunda quinzena de janeiro.

A orientação do comandante, coronel Jefferson de Barros, é que os servidores reagendem o descanso para depois do dia 25 de janeiro.

A suspensão de férias de PMs não é a única medida que visa aumentar o efetivo da Brigada Militar durante o julgamento. 600 policiais militares de Porto Alegre que estão cedidos para a Operação Golfinho, no litoral do Estado, retornarão à capital às vésperas do julgamento e por ali ficam por seis dias.

O total de policiais envolvidos na operação do dia 24 não é informado, mas a Secretaria de Segurança afirma que o assunto está sendo tratado pelo Gabinete de Gestão Integrada e que ainda não há definições.

O comandante da Brigada Militar, coronel Andreis Dal’Lago, disse que a operação é tratada com sigilo. A expectativa é de que sejam usados cães, tropas a cavalo e até atiradores de elite ao redor do TRF4.

Ainda não há expectativa do número de simpatizantes de Lula que estarão em Porto Alegre. O MST confirmou presença de ao menos dois mil agricultores, enquanto a CUT pretende trazer 200 ônibus à capital gaúcha.

*Informações do repórter Sandro Sauer