0:00
0:00

Comitê de Harvard quer banir clubes sociais para diminuir práticas machistas e agressivas

  • Por Jovem Pan
  • 17/07/2017 06h29
Divulgação/HarvardDivulgação/HarvardIrmandades e sororidades são uma espécie de clube, financiado pelos próprios estudantes, que preveem ritos de iniciação secretos

Comitê especial da Universidade de Harvard apresenta sugestão para banir clubes sociais. De acordo com o relatório, as irmandades, sororidades e qualquer tipo de clubes masculinos e femininos devem ser proibidos na instituição.

O grupo acusou essas organizações de instigarem comportamentos machistas, violentos, elitistas e abuso de entorpecentes.

Se a proposta for acolhida, Harvard se tornará a primeira universidade dos Estados Unidos a proibir esse tipo de organização por parte dos alunos.

Irmandades e sororidades são uma espécie de clube, financiado pelos próprios estudantes, que preveem ritos de iniciação secretos.

Essa prática muitas vezes envolve abuso de álcool, comportamentos violentes, constrangedores ou humilhantes.

O comitê relembrou o caso de um jovem de 19 anos que morreu no início deste ano devido aos ferimentos sofridos durante o rito.

A decisão agora cabe ao reitor da universidade.

*Informações da repórter Nanny Cox