Com a intenção de angariar mais votos nas próximas eleições, deputados e senadores que não são investigados na Operação Lava Jato e nem citados em delações premiadas começam a agir para mostrar à sociedade que são diferentes dos políticos tidos como corruptos.

O primeiro objetivo do grupo é barrar qualquer possibilidade de anistiar, projetos que possam interferir no andamento das investigações da Lava Jato, bem como o projeto que regulamenta o abuso de autoridade.

Neste projeto, o principal ponto em debate é a possibilidade de punição de juízes e promotores por interpretação da lei. Segundo o deputado Carlos Sampaio, a interpretação da lei é o instrumento de trabalho dos magistrados e eles não podem ser punidos por uma eventual interpretação equivocada.

A intenção do grupo de deputados e senadores é mostrar, durante a campanha eleitoral, que eles não estão entre os investigados por ilicitudes.

Confira as informações do repórter da Jovem Pan em Brasília, José Maria Trindade: