Defesa de médico do HC rebate denúncia do MPF sobre fraude milionária

  • Por Jovem Pan
  • 15/12/2017 07h25
ReproduçãoA defesa de Erich Fonoff diz que pedirá a apuração do vazamento à Corregedoria do Ministério Público

Erich Fonoff, neurocirurgião do Hospital das Clínicas de São Paulo, em nota à imprensa, rebate denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal à Justiça por suposto desvio de recursos públicos na compra de marca-passos cerebrais.

De acordo com o texto, a divulgação da denúncia antes de ser protocolada e recebida pela Justiça causa indignação e preocupação, levantando a suspeita de que houve vazamento para atingir a imagem do médico.

A defesa de Erich Fonoff diz que pedirá a apuração do vazamento à Corregedoria do Ministério Público.

Ainda, o texto acrescenta que relatórios produzidos pelo Hospital das Clínicas e pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo sobre o caso isentam totalmente o médico das acusações feitas contra ele.

Bem como o procedimento de diagnóstico e recomendação de tratamentos empregado por Erich Fonoff para pacientes com Mal de Parkinson, incluindo cirurgias, segue rígidos protocolos internacionais.

Além disso, o texto diz que o Tribunal Regional Federal da 3ª Região já determinou a reintegração do médico a suas funções na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

Segundo a denúncia do Ministério Público Federal, o médico e outras três pessoas estariam envolvidas na fraude estimada em R$ 4,8 milhões aos cofres públicos.

A denúncia é resultado da Operação Dopamina, que foi deflagrada em 18 de julho de 2016 pela PF e pela Procuradoria para desarticular esquema de desvio de recursos públicos na compra dos marca-passos cerebrais.

*Informações do repórter Fernando Martins