A ex-presidente Dilma Rousseff disse que tem medo de que manobra tire Lula das eleições de 2018, e Sérgio Moro atacou o caixa dois eleitoral. Os dois foram os principais palestrantes do evento Brazil Conference at  Harvard & MIT, realizado neste fim de semana nos Estados Unidos.

Dilma afirmou que se preocupa com a possível prisão do ex-presidente Lula já que, segundo ela, há uma possibilidade concreta de vitória do petista. No discurso, a presidente cassada se disse vítima de um golpe e aproveitou para mandar uma indireta a Moro.

“Não é admissível juiz falar fora do processo. Em qualquer lugar do mundo o juiz não pode ser amigo do julgado. E em qualquer lugar do mundo não é possível qualquer forma de violação do direito de defesa”.

Alheio à fala da ex-presidente, Sérgio Moro defendeu o projeto das "10 medidas de combate à corrupção".

O juiz federal responsável pela Lava Jato na primeira instância criticou duramente a possibilidade de liberar parte do caixa dois. “Caixa dois em eleições é trapaça, é um crime contra a democracia. Alguns desses processos me causa espécie quando alguns sugerem em fazer uma distinção de corrupção para fins de enriquecimento ilícito e a corrupção para fim de financiamento ilícito de campanha eleitoral. Para mim até corrupção para financiamento ilícito de campanha eleitoral é pior”.

Participaram do evento também o empresário Jorge Paulo Lemann, o publicitário Nizan Guanaes e o músico e ex-ministro da Cultura Gilberto Gil. O apresentador de TV Luciano Huck e o procurador Deltan Dallagnol também estiveram entre os mais aplaudidos nesse fim de semana em Cambridge.