Em SP, jovem é morto e esquartejado por marido de mulher com quem estava saindo

  • Por Jovem Pan
  • 07/12/2017 06h06

Tiago Muniz/Jovem Pan

O crime foi descoberto nesta quarta-feira (06) por agentes da Divisão Antissequestro do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa, o DHPP, após investigações

Polícia encontra corpo de adolescente que estava desaparecido desde o início do mês em Parada de Taipas, na Zona Norte de São Paulo. Jorge Ferraz do Amaral, de 16 anos, foi assassinado a facadas pelo marido da mulher com a qual ele estava se relacionando e teve o corpo esquartejado.

O crime foi descoberto nesta quarta-feira (06) por agentes da Divisão Antissequestro do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa, o DHPP, após investigações.

O menor estava desaparecido desde a última sexta-feira, dia 1º, quando foi visto pela última vez, por volta das dez horas da noite, dentro de um ônibus, no ponto final da linha Cohab Taipas.

Ouvindo pais, amigos e monitorando as redes sociais, os agentes descobriram que ele havia terminado o namoro com uma garota e estava se relacionando com uma mulher, de 26 anos, casada.

Com as informações, os policiais procuraram o marido da jovem e souberam que ele estava desaparecido desde o dia 03, domingo.

As buscas se intensificaram, principalmente nas regiões de Parada de Taipas e Jaraguá, até que, na tarde de ontem, os policiais localizaram e prenderam o ajudante geral Antônio Carlos Lucena, de 40 anos.

Lucena foi surpreendido na Estação Jaraguá, da linha 7 Rubi da CPTM, quando se preparava para fugir. Interrogado, o ajudante acabou confessando que havia matado e esquartejado o corpo do adolescente por ciúmes, após ter descoberto a traição da mulher.

Ele contou que a esposa estava se relacionando com o menor havia três meses e decidiu, então, marcar um encontro com o rapaz para uma conversa.

O encontro ocorreu no Motel Xodó, localizado na Avenida Deputado Cantídio Sampaio, 6.413, em Parada de Taipas, onde Lucena trabalha. Segundo o suspeito, o jovem concordou em ir até o local e assim que chegou, foi esfaqueado no tórax e morto.

Depois de esquartejar o corpo, o ajudante colocou as partes em sacos e jogou em um matagal, não muito distante dali. Os policiais foram até o local indicado por ele, onde encontraram o cadáver.

Antônio Carlos Lucena foi encaminhado à sede do DHPP e indiciado por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Ainda não foi confirmado se foi a mulher dele quem atraiu o adolescente para o encontro onde acabou morto.

*Informações do repórter Paulo Édson Fiore