0:00
0:00

Jornalista russo opositor a Putin vê força jovem em atos e quer driblar contradições

  • Por Jovem Pan
  • 14/06/2017 11h36 - Atualizado em 29/06/2017 00h21
Reprodução/FacebookDenis Bilunov

A onda de protestos na Rússia levou mais de 500 pessoas à prisão e trouxe uma novidade à oposição do governo de Vladimir Putin.

12 de junho é um dia de celebração na Rússia. A data relembra a independência do país em relação à União Soviética. Ironicamente, a celebração de independência se tornou em em dia de repressão.

A oposição ao governo de Vladimir Putin decidiu marcar a data com protestos, e foi recebida pela polícia do Kremlin. Diferentemente da onda de manifestações que a Rússia viveu nos anos de 2011 e 2012, os protestos da última segunda-feira foram marcados pela forte presença de jovens.

Gente que apoia Alexei Navalny, o novo líder da campanha anti-Putin que quer concorrer com o presidente russo nas eleições de 2018. A Jovem Pan conversou com exclusividade com Denis Bilunov, jornalista russo que criou o partido 5 de dezembro, sigla que faz parte da coalizão pela candidatura de Navalny.

Ele acredita que a aparição dos jovens nos protestos mostra que a era Putin começa a ser de fato questionada.

“Os adolescentes são um novo marco na oposição, porque uns anos atrás nos protestos víamos pessoas nos seus 30, 40 e poucos anos. Já na segunda-feira vimos adolescentes mesmo. E eu acho que isso é inspirador porque parece que a nova geração entende a necessidade de mudança melhor do que os mais velhos”, afirmou.

A oposição calcula que quase mil pessoas foram detidas em protestos ao redor de toda a Rússia no dia da Pátria.

Polícia prende manifestantes durante ato contra Vladimir Putin em Moscou no último dia 12 (fotos: EFE/Sergei Chirikov)

Mídia e discurso

Um dos problemas a ser vencido por Navalny é romper o silencio midiático: em boa parte do território russo, o líder oposicionista é ainda um desconhecido.

Outra dificuldade, na avaliação de Denis Bilunov é acertar o discurso dentro de uma sociedade que ainda vive contradições.

Denis mesmo discorda de certos pontos da fala de Alexei.

“O Alexei é liberal , mas talvez um pouco mais nacionalista do que eu preferiria. Navalny talvez seja uma pessoa contraditória, mas ele é obviamente o mais proeminente líder da oposição agora”, diz Denis.

Navalny conseguiu ficar em segundo lugar na eleição para prefeito de Moscou em 2013. Preso na última segunda-feira por causa dos protestos ele deve passar pelo menos um mês detido.

Reportagem e entrevista da repórter Helen Braun. Ouça AQUI.