Justiça determina multa aos movimentos que permanecem no entorno da PF em Curitiba

  • Por Jovem Pan
  • 16/04/2018 07h49
EFEA decisão, que deve ser cumprida imediatamente, cita a Central Única dos Trabalhadores, o Partido dos Trabalhadores, o Movimento Curitiba contra Corrupção, o Movimento Brasil Livre e o Movimento UFPR Livre

A Justiça do Paraná fixou multa de R$ 500 mil por dia aos movimentos sociais que ocupam o entorno da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde está preso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O despacho, assinado pelo juiz substituto, Jailton Juan Carlos Tontini, da 3ª Vara de Fazenda Pública, cita que os manifestantes, pró e contra Lula, estão descumprindo uma ordem liminar do dia 8 de abril, que determinava que os réus não impedissem o trânsito de pessoas na região e que não fossem montados acampamentos e estruturas semelhantes nas proximidades da PF.

A decisão, que deve ser cumprida imediatamente, cita a Central Única dos Trabalhadores, o Partido dos Trabalhadores, o Movimento Curitiba contra Corrupção, o Movimento Brasil Livre e o Movimento UFPR Livre.

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann disse que a legenda já tomou as medidas judiciais cabíveis e que o partido está negociando sobre o acampamento em apoio ao ex-presidente.

Na sexta-feira, a Prefeitura de Curitiba pediu à Justiça Federal que o ex-presidente seja transferido de unidade prisional, devido a problemas de segurança e reclamações dos moradores do Bairro Santa Cândida.

O Sindicato dos Delegados da Polícia Federal também solicitou a transferência de Lula para outro local com mais condições de segurança para a população e servidores.

Desde a condução do ex-presidente à sede da PF em Curitiba, cerca de 500 pessoas acampam na vizinhança do prédio da instituição, conforme informações da Polícia Militar.

*Informações da repórter Natacha Mazzaro