Márcio França rebate críticas e diz que Doria estava “desequilibrado” e “parecia possuído”

  • Por Jovem Pan
  • 13/04/2018 08h44
Jovem PanO governador, em tom mais leve que o de Doria, ressaltou que não tem nada contra o ex-prefeito, mas que tem o direito de fazer a crítica

Após ser chamado de “Márcio Cuba” pelo ex-prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), o governador do Estado falou novamente com exclusividade ao Jornal da Manhã e rebateu as críticas do tucano.

“Lamentável que o ex-prefeito, que abandonou sua função, venha em público falar isso como falou ontem. Desequilibrado, parecia possuído, coisa esquisita”, disse Márcio França (PSB).

O governador, em tom mais leve que o de Doria, ressaltou que não tem nada contra o ex-prefeito, mas que tem o direito de fazer a crítica quanto à promessa não cumprida de que o tucano permaneceria na Prefeitura até o fim do mandato. “Vou fazer uma analogia: você encomenda uma pizza de oito pedaços e vem com dois pedaços e ele não quer nem que a gente reclame. Não é possível acontecer isso. Ele tem que entender que não pode ser mimado desse jeito”, esclareceu.

Para França, as pessoas têm direito de reclamar, mas isso não quer dizer que Doria é desonesto. “Mas não é possível ele achar que todo mundo vai ficar quieto e engolir essa história. Não é possível ele dar a sensação de que será candidato a presidente. Ele tem que se colocar na posição dele. Não pode querer tudo”.

Relembre caso

Pré-candidato ao governo de São Paulo pelo PSDB, João Doria não poupou críticas ao atual governador do Estado, Márcio França (PSB), sobre sua gestão, salários e até mesmo no embate na eleição deste ano, que ele concorre à reeleição.

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, nesta quinta-feira (12), o ex-prefeito de São Paulo já iniciou sua fala com imagens comprovando a aproximação de França com “esquerdistas”. “O mesmo partido que você nega, Márcio França, recebendo apoio do PC do B, que você diz que não tem nada com o seu partido. O seu partido manifesta apoio a Lula”, disse.

Chamando o governador algumas vezes de “Márcio Cuba” – e ironizando que foi um “pequeno lapso” -, Doria fez questão de deixar clara a tendência à esquerda do pessebista e o acusou de não ter feito nada além de política partidária. “Ele não fez nada, fez política o tempo inteiro e continua a fazer isso agora como governador, usando dinheiro público para política partidária. Utiliza helicóptero, estrutura do governo, segurança, tudo com dinheiro público, ele faz política o dia inteiro”.

Sem poupar críticas ao sucessor de seu “mentor”, Geraldo Alckmin, o tucano disse ainda que o governador do Estado alicia prefeitos e vereadores. Ao falar sobre o que pretende fazer para conseguir apoio dos municípios, Doria disse que não quer “fazer aliciamento de prefeitos”, ao que completou: “mas Márcio França faz isso 24 horas por dia”.