“Metade dos 39% é eleitorado petista”, diz Doria sobre taxa de reprovação em pesquisa

  • Por Jovem Pan
  • 06/12/2017 08h59

Wilson Dias/Agência Brasil

"Faz parte do jogo, há faixa entre 15 a 20% do eleitorado em São Paulo que idolatra o PT, que José Dirceu é uma maravilha. Faz parte do jogo. No restante e interpretar e agir”, disse

Após 39% dos entrevistados da última pesquisa Datafolha apontarem o governo de João Doria à frente da Prefeitura de São Paulo como ruim ou péssimo – aumento de 13% em relação ao começo de outubro, o tucano reagiu e destacou sua aceitação.

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, o prefeito João Doria criticou a forma como foi apontada a pesquisa: “essa pesquisa a folha de S. Paulo, não quero fazer interpretação da Folha, mas nesta mesma pesquisa, em índice ‘ótimo’, ‘bom’ e ‘regular’ tem 60%. Ressaltar apenas ‘ruim’ e ‘péssimo’ e omitir ou não destacar os índices positivos não me parece a forma adequada de informar seus leitores”.

Doria ressaltou os 60% alcançados durante sua gestão e fez uma ressalva: “metade dos 39% é eleitorado petista, de esquerda, e me posiciono bastante distante deste mundo. Isso nós vamos carregar historicamente, mesmo no início da gestão tínhamos 15%. Faz parte do jogo, há faixa entre 15 a 20% do eleitorado em São Paulo que idolatra o PT, que José Dirceu é uma maravilha. Faz parte do jogo. No restante e interpretar e agir”.

O prefeito aproveitou ainda para apontar a herança deixada por Fernando Haddad: déficit de R$ 7,5 bilhões.

Questionado sobre onde acredita estar a maior fonte de reclamações quanto à Prefeitura, Doria foi direto: “é a zeladoria urbana”.

“Estamos muito bem. Na área de saúde temos bons resultados, mas sempre pode melhorar, educação, transporte, mobilidade. Onde precisamos melhorar é zeladoria urbana e temos dois aspectos e um correlato: buracos, e asfalto e a iluminação”, disse.

Confira a entrevista completa com o prefeito de São Paulo, João Doria: