Nível de bancos de sangue em SP está 40% abaixo do recomendado e febre amarela preocupa

  • Por Jovem Pan
  • 12/01/2018 07h28

Tomaz Silva/Agência Brasil

Neste início de 2018, com a campanha de vacinação contra febre amarela, prevista para fevereiro, a situação pode ficar ainda pior

O avanço da febre amarela também está gerando preocupação nos bancos de sangue. Em São Paulo, o nível dos estoques está 40% abaixo do patamar considerado ideal.

A queda é comum neste período, por causa das festas de Natal e Réveillon e das férias escolares. Mas, neste início de 2018, com a campanha de vacinação contra febre amarela, prevista para fevereiro, a situação pode ficar ainda pior.

Isso porque os moradores que receberem a imunização terão que aguardar pelo menos quatro semanas para voltar a doar sangue.

A hematologista Cíntia Arraes, da Fundação Pró-Sangue, disse que o cenário é preocupante: “lembrem-se que, se vai se vacinar, venha doar sangue antes. Vacinação em massa pode comprometer estoques de sangue”.

A principal dificuldade é fazer com que os voluntários reservem um tempo na agenda para fazer a doação: “eles têm vontade de ajudar, tanto que quando pedimos, o retorno vem. O brasileiro é solidário, mas falta regularidade”

Mas a hematologista Cíntia Arraes, da Fundação Pró-Sangue, lembra que o procedimento é rápido – leva, em média, 30 minutos, do cadastro até a coleta.

O doador deve ter entre 16 e 69 anos, pesar mais de 50 quilos, não pode estar gripado nem ser portador de doenças transmissíveis.

O voluntário deve chegar alimentado – e isso costumar gerar confusão, porque muita gente acha que precisar estar em jejum, como é praxe nos exames de sangue.

Mas, na doação, é diferente. A cada sessão, são retirados, em média, 400 mililitros de sangue, volume suficiente para salvar até quatro vidas.

*Informações do repórter Vitor Brown