0:00
0:00

“Sindicatos não querem perder boquinha”, diz Rodrigo Maia sobre imposto sindical

  • Por Jovem Pan
  • 21/04/2017 09h31
Brasília - O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, chega ao Congresso Nacional (Marcelo Camargo/Agência Brasil)Marcelo Camargo/ Agência BrasilRodrigo Maia vai tentar se reeleger na Câmara no dia 2 de fevereiro de 2017

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu nesta sexta-feira (21) as reformas propostas pelo governo Temer e criticou o imposto sindical.

Maia disse que as reformas são imprescindíveis para o País voltar a andar novamente. “As reformas macro vão garantir uma base importante para que depois a gente possa avançar, no segundo semestre do ano que vem, sobre uma agenda micro, aí sim pensando em pontos específicos e outras reformas que são importantes”, afirmou o deputado.

Rodrigo Maia falou também sobre a reforma trabalhista e ironizou a atuação dos sindicatos contra o fim do imposto sindical.

“Os sindicatos não querem perder, boa parte deles, a sua boquinha. Não querem perder aquilo que eles ganham sem nenhum esforço, que é o imposto sindical, em vez de ser uma contribuição espontânea, que também tem previsão legal. Então é legítimo que eles estejam se mobilizando para lutar também pelo que eles acreditam, não necessariamente um pensamento divergente ou equivocado”.

Maia ficou bastante irritado quando alguns jornalistas o compararam com o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB), em relação à estratégia de travar ou não a pauta de votações na Câmara.

A informação é do repórter Jovem Pan Daniel Lian, que acompanha fórum que reúne empresários e políticos em Foz do Iguaçu, no Paraná.