Economistas dizem que reforma da Previdência terá de ser aprovada até 2019

  • Por Jovem Pan
  • 18/12/2017 15h56

Divulgação

Sérgio Vale diz que não aprovar a reforma da Previdência em dois anos é "jogar o Brasil no buraco de novo"

Dois economistas entrevistados pelo Jornal Jovem Pan nesta segunda-feira (18) dizem que, se a reforma da Previdência não for aprovada ano que vem, sua aprovação será imprescindível em 2019.

Jason Vieira, economista da Infinity Asset, avalia que as últimas duas semanas foram difíceis para o mercado, que alimentou um “ânimo forte” com possível tramitação da reforma. Agora, com a certeza de que a votação ficará apenas em fevereiro do ano que vem, o mercado se acalmou e “tirou um pouco o foco da política”.

“Sem a (reforma da) Previdência 2018 não é tão perigoso, mas a partir de 2019 a questão fica muito difícil, à beira do insustentável”, diz Vieira. “Qualquer sinalização de que 2019 pode ser um ano difícil sem a aprovação da refomra, e as agências de classificação de risco baixam sua nota de forma a avisar seus investidores”, alerta.

Se a falta das mudanças nas regras da aposentadoria ficar confirmada para os próximos anos, até os bons indicadores atuais, como de inflação e do PIB podem se deteriorar, aponta o economista.

O economista da MB Associados, Sérgio Vale, vai na mesma linha, mas entende que a percepção da população “de uma retomada mais efetiva” da economia em 2018 “vai ficar mais clara”. Ele avalia que o desemprego, que chegou a 14% em 2017, termine o ano que vem na faixa dos 10% e lembra que alguns setores já começaram a comemorar a recuperação, como o de automóveis. Já a construção civil está apenas “começando a retomar” o ritmo.

Em relação à reforma da Previdência, no entanto, Sérgio Vale é pessimista para uma possível aprovação em 2018. “É muito difícil imaginar que vamos conseguir ter as quatro votações qualificadas nas duas Casas (Câmara e Senado) em tempo hábil”, diz, lembando que é um ano eleitoral.

“Todos esperam que a reforma, não aprovada ano que vem, terá de ser aprovada em 2019”, diz Vale. “Se não ganhar um candidato que fizer essa reforma, as pessoas podem se preparar para uma nova recessão em 2019”, afirmou.

Isso seria, segundo ele, “jogar o Brasil de novo no buraco”. Ouça as entrevistas:

  • Tags: