Reinaldo Azevedo, Victor LaRegina e Vitor Brown comentaram os principais assuntos desta terça-feira (18) em "Os Pingos nos Is".

Em seu editorial de abertura, Reinaldo Azevedo falou sobre o papa Francisco ter recusado convite para visitar o Brasil. Saiba mais no editorial completo.

FMI X BRASIL - O Fundo Monetário Internacional manteve, em seu novo relatório, a estimativa de crescimento do PIB brasileiro em 0,2% neste ano. Para 2018, a previsão é de expansão de 1,7%. Para que o país consiga recuperar o crescimento, o fundo destaca a necessidade de implementação de "ambiciosas reformas" que ataquem despesas "insustentáveis", como na seguridade social - que abarca Previdência, saúde e assistência social.

MORO X LULA – O juiz Sérgio Moro decidiu ouvir as 87 testemunhas de defesa arroladas pelos advogados de Lula em ação em que o petista é acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro por supostamente ter recebido um terreno para a instalação do Instituto Lula e um apartamento em São Bernardo do Campo. O magistrado afirmou que a presença de Lula será exigida em todos os depoimentos.

IDADE - O relator da reforma da Previdência, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS), irá fixar em 62 anos a idade mínima para a aposentadoria das mulheres. A proposta inicial do governo previa uma idade mínima para aposentadoria de 65 anos tanto para homens como para mulheres. O relatório de Maia deve incluir também idade mínima de 60 anos para aposentadorias diferenciadas, como trabalhadores rurais, policiais e professores. Outra possível mudança no texto está relacionada à regra de transição, que terá idade mínima de 53 anos para mulheres e 55 anos para homens.

PROTESTO - Representantes de sindicatos do setor de segurança pública invadiram o Congresso Nacional em protesto contra a reforma da Previdência. Vidros da chapelaria foram quebrados e caixões e cruzes foram queimados. Durante a invasão, ao menos cinco manifestantes foram detidos.

SETUBAL X GESTORES - O presidente do Itaú Unibanco, Roberto Setubal, afirmou que a política brasileira precisa de bons políticos, em vez de bons gestores. Em evento, Setubal disse que atualmente há maior espaço para a entrada de empresários na política, mas ponderou que "política é para políticos".

LAVA JATO - A presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, e o ministro Edson Fachin decidiram montar uma espécie de força-tarefa para tentar acelerar os casos relacionados à Lava Jato na Corte. Ainda não está decidido quantas pessoas farão parte dessa equipe, que deve contar com funcionários, como assessores e juízes. O material da Odebrecht fez triplicar o volume de casos da operação no tribunal: eram 37 investigações e agora são 113.