0:00
0:00

Vai dar em algo? Ex-procurador protocola pedido de impeachment de Gilmar Mendes

  • Por Jovem Pan
  • 14/06/2017 19h15 - Atualizado em 29/06/2017 00h24
EFE/Joédson AlvesEFE/Joédson AlvesMinistro Gilmar Mendes durante sessão do TSE que julga pedido de cassação da chapa Dilma-Temer
BRA118. BRASILIA (BRASIL), 06/06/2017.- El presidente del Tribunal Superior Electoral, Gilma Mendes, habla durante una audiencia parte del proceso contra Dilma Rousseff y Michel Temer hoy, martes 6 de junio de 2017, en Brasilia (Brasil). El Tribunal Superior Electoral de Brasil retomó hoy el proceso que decidirá si la campaña que Dilma Rousseff y Michel Temer compartieron en 2014 fue financiada con dinero de la corrupción, lo que pudiera desalojar del poder al actual mandatario. EFE/Joédson Alves

O grupo J&F, que controla a JBS, gastou nos últimos dois anos R$ 2,1 milhões em patrocínio de eventos do IDP, o Instituto Brasiliense de Direito Público, que tem como sócio o ministro Gilmar Mendes, do STF. O instituto disse que devolveu 650 mil reais deste total no dia 29 de maio, após a revelação do acordo de delação premiada de executivos da empresa.

Mas antes que vocês comentem o assunto, mais um informação sobre Gilmar: o ex-procurador-geral da República Cláudio Fonteles vai protocolar hoje um novo pedido de impeachment no Senado contra o ministro. Ele alega crime de responsabilidade de Gilmar por sua conduta em diferentes ocasiões, uma delas é a conversa gravada entre Aécio Neves e o titular da Suprema Corte.

Confira a análise da bancada do 3 em 1: