Malásia detém 3 suspeitos vinculados ao ataque com bomba em Bangcoc

  • Por Agencia EFE
  • 14/09/2015 06h01

Bangcoc, 14 set (EFE).- A Polícia da Malásia confirmou nesta segunda-feira a detenção de dois homens e uma mulher vinculados ao ataque com bomba no centro de Bangcoc que em meados de agosto causou 20 mortos e mais de uma centena de feridos.

O chefe da Polícia, Khalid Abu Bakar, disse que os detidos são duas pessoas de nacionalidade malásia e um paquistanês, embora não tenha detalhado o papel que estes tiveram no atentado, nem quando e onde foram aprisionados.

As autoridades locais procederam à captura dos suspeitos graças às informações fornecidas pela Polícia tailandesa, informou o jornal “The Malaysia Insider”.

“Achamos que nos poderão ajudar a encontrar aqueles envolvidos na explosão”, afirmou Khalid em entrevista coletiva.

Os detidos permanecerão sob custódia na Malásia, enquanto não houver um requerimento por parte das autoridades tailandesas, afirmou o chefe da Polícia.

Neste domingo, a Tailândia emitiu uma ordem de detenção contra um cidadão chinês chamado Abudureheman Abudusataer, conhecido como “Ishan”, ao que considera o cérebro do atentado.

Um dos dois detidos na Tailândia por sua suposta vinculação com o ataque à bomba identificou “Ishan” como o autor intelectual do ataque.

Além de “Ishan”, a Polícia pediu ordens de detenção de outras 11 pessoas, a maioria deles estrangeiros.

As autoridades tailandesas insistem em vincular o atentado com uma máfia de tráfico de pessoas apesar de a investigação policial alimentar a hipótese de uma represália pela deportação em junho de uma centena de uigures à China.

“Ishan” é original da região chinesa de Xinjiang, onde vive a minoria muçulmana uigur. EFE