Bolsonaro recomenda que militantes e aliados evitem dar entrevistas

  • Por Jovem Pan
  • 11/10/2018 17h25
JOSE LUCENA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO"Parte dela quer me desgastar", disse o candidato

O candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) fez um discurso na tarde desta quinta-feira (11) no Rio de Janeiro no qual fez duras críticas à imprensa. O evento contou com a presença de apoiadores, do senador eleito Arolde Oliveira (PSD) e do coordenador de sua campanha, Onyx Lorenzoni (DEM), e foi transmitido ao vivo pelo YouTube.

O presidenciável disse inicialmente que a mídia tenta tirar suas declarações do contexto original apenas para atacá-lo e recomendou ao público presente que evite entrevistas. “Tomem muito cuidado com a mídia. Ela arranja uma maneira, quer uma escorregada, uma frase, para me atacar. Recomendo nem falar [com ela]. Parte dela quer me desgastar. Grande parte dela é de esquerda”, afirmou.

Em seguida, reforçou novamente o nome de três dos principais ministros que teria em seu eventual governo. São eles Onyx para a Casa Civil, Paulo Guedes para Fazenda e Planejamento, e General Heleno para a Defesa.

Bolsonaro ainda citou os homossexuais que apoiam sua candidatura e parabenizou os candidatos eleitos pelo PSL que fizeram suas campanhas sem tempo de TV, chamando-os de “heróis”, e deu uma “missão final” a todos: votar na sigla nas disputas de governo do segundo turno em que ela está presente (Santa Catarina, Rondônia e Roraima) ou declarar neutralidade nos estados em que não está. “Estamos vivos e com mais gás ainda. Não adianta o outro lado pintar a bandeira de verde, não é a cor deles”, afirmou, ironizando o PT.