De viagens a cordel na TV: Haddad e Bolsonaro focam última semana em votos nordestinos

  • Por Jovem Pan
  • 21/10/2018 11h48
Estadão Conteúdo/montagemRegião deve ser o foco da reta final das campanhas

O Nordeste pode definir essa eleição. Pelo menos é nisso que os candidatos à presidência Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL) parecem acreditar. Neste fim de semana, início da reta final da campanha, ambos fizeram acenos importantes à região, mostrando que o foco dos próximos dias será a disputa dos votos locais.

O petista viajou neste domingo (21) para São Luís (MA) ao lado do governador reeleito Flávio Dino (PCdoB). Antes, no sábado (20), fez passeatas no Ceará com Cid Gomes, senador eleito pelo PDT. Em comício em Fortaleza, chegou a chamar o rival de “soldadinho de araque” por negar participação em debates. Segundo o deputado estadual eleito Emídio de Souza, integrante da coordenação da campanha, a ideia é tentar transferir os votos de Ciro Gomes, presidenciável derrotado no primeiro turno, para o petista.

Ainda não se sabe onde a campanha será encerrada, mas os estados mais cotados são Bahia e Pernambuco.

Bolsonaro, sem conseguir fazer longas viagens por recomendação médica, por sua vez, tem feito acenos ao Nordeste em suas propagandas no rádio e na TV. No programa divulgado no sábado, por exemplo, foram mostrados depoimentos de moradores locais sobre o candidato que o retratam como “uma pessoa de pulso” que “resgata os valores da família”. Além disso, um locutor com forte sotaque narrou uma espécie de cordel animado com a trajetória do candidato e críticas ao PT.

As mais recentes pesquisas de intenção de voto mostram que Haddad tem o desafio de superar uma larga vantagem do adversário no segundo turno. No Ibope e no Datafolha, o candidato do PT está 18 pontos porcentuais atrás do capitão reformado – Bolsonaro tem 59% dos votos válidos, ante 41% do petista.

*Com informações do Estadão Conteúdo