Em debate vazio de propostas, candidatos falam para os seus

  • Por Jovem Pan
  • 10/08/2018 01h15
Estadão ConteudoO debate da Band realizado nesta quinta-feira foi marcado por discursos vazios e falta de propostas efetivas.

Tradicional por ser o primeiro encontro entre os candidatos da disputa à presidência da República, o debate da Band foi marcado por discursos vazios e falta de propostas efetivas.

Participaram do encontro: Alvaro Dias (Podemos), Cabo Daciolo (Patriota), Geraldo Alckmin (PSDB), Marina Silva (Rede), Jair Bolsonaro (PSL), Guilherme Boulos (PSOL), Henrique Meirelles (MDB) e Ciro Gomes (PDT).

O clima foi morno durante quase todo o programa. O único a buscar o embate direto foi Guilherme Boulos, que, logo no primeiro bloco, atacou o deputado Jair Bolsonaro. “O Brasil todo sabe que você é racista, machista e homofóbico”, declarou Boulos que, aliás, tentou aproveitar a ausência do ex-presidente Lula para ser o nome da esquerda debate. O psolista insistiu, por exemplo, em criticar a postura de seus adversários usando termos como “cinquenta tons de Temer” e “apoiadores do golpe”.

Alckmin e Marina, por sua vez, atuaram claramente em busca de um lugar no segundo turno. Ambos trocaram perguntas sempre que tiveram oportunidade. O momento de maior tensão entre os dois aconteceu quando a candidata da Rede criticou a aliança do ex-governador com o “Centrão”. “O senhor diz que é candidato à presidência porque quer mudar o Brasil, no entanto o senhor fez acordo com o Centrão, que é base de apoio do governo Michel Temer”, questionou Marina.

O debate esfriou ainda mais nos dois blocos em que os jornalistas da Band fizeram as perguntas.  Assuntos como a crise migratória da Venezuela, a legalização do aborto e a reforma trabalhista não acirraram os ânimos, mesmo com as posições diferentes entre os candidatos.

Entre os deslizes que merecem nota, está o descompasso do senador Álvaro Dias com o cronômetro. Logo na sua primeira participação, o candidato do Podemos estourou o tempo e foi interrompido pelo apresentador Ricardo Boechat. No momento, Dias explicava que convidou o juiz federal Sérgio Moro para compor seu governo como ministro da Justiça. O senador repetiu a informação por mais quatro vezes durante o debate. Vale ressaltar que o Moro não apoia – e nunca declarou apoio – ao senador.

Apesar de tentar ser cordial com Marina e Alckmin, Ciro Gomes, do PDT, ficou isolado no encontro.

Curiosamente, quem mais chamou a atenção foi o candidato de menor expressão até o momento: Cabo Daciolo, do Patriota. Sem sequer aparecer nas pesquisas de intenção de voto até agora, ele é o novo candidato a meme dessas eleições. Com jeito de lutador de MMA, Daciolo atacou diversos oponentes e chegou a empunhar uma Bíblia em suas considerações finais.

O próximo debate entre os presidenciáveis acontece no próximo dia 17 e será realizado pela Rede TV. No dia 27 de agosto é a vez do encontro promovido pela Jovem Pan, com transmissão exclusiva pelo Youtube.