Em polêmica sobre livro, Bolsonaro culpa governos do PT e MDB e diz que ‘MEC posa de isentão’

  • Por Jovem Pan
  • 30/08/2018 14h00
Reprodução"Esse livro estimula precocemente as crianças para o sexo e escancara as portas da pedofilia", critica Bolsonaro

Durante a participação em sabatina nesta terça-feira (28), no Jornal Nacional, o candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, tentou mostrar um livro que, segundo ele, seria distribuído pelo Ministério da Educação como parte de um “kit gay” em escolas de todo o País.

Tanto MEC quanto a editora que publicou o livro negam que este tenha sido distribuído em escolas do País. Após as negativas, Bolsonaro, em vídeo publicado nesta quinta-feira (30) em rede social, esclareceu o que houve e repetiu as críticas ao livro “Aparelho Sexual e Cia – Um Guia Inusitado Para Crianças Descoladas”.

“Esse livro, tentei mostrar no Jornal Nacional, não consegui. Agora, esse livro estimula precocemente as crianças para o sexo e escancara as portas da pedofilia. O que realmente aconteceu foi que as editoras que vendem material didático para o Governo, por parte do Governo, exige que as mesmas, a título de brinde, forneça esse tipo de material. Porque o MEC posa de ‘isentão’. Mas esse livro chegou em grande parte das bibliotecas, das escolas de ensino fundamental em todo o Brasil. Foi uma diretora que me deu isso aqui e eu chequei e chegara em vários locais”, disse logo no início do vídeo.

Com o livro em mãos, Bolsonaro dá sequência ao vídeo: “Está escrito aqui ‘enfie no buraco do menino o seu dedo’ simbolizando o pinto do homem! E aqui do lado a menina. E o livro manda fazer isso, você não, seu filho”.

Segundo o candidato, “eles querem legalizar a pedofilia” e sexualizar as crianças de forma precoce. “É uma esculhambação o que fazem com a educação no Brasil. Nós vamos combater, continuaremos combatendo esse tipo de material”, continua.

Por fim, Bolsonaro pede que os pais e mães das crianças fiquem atentos ao que seus filhos levam nas mochilas e que observemo conteúdo existente em bibliotecas, especialmente as públicas. “Checar a biblioteca, especialmente a pública, que é para atingir o filho do pobre. O governo do PT, e agora MDB, não tem qualquer consideração com seu filho em sala de aula”, finaliza.

Confira o vídeo na íntegra:

Negativas do MEC e Companhia das Letras

Entretanto, o MEC, em nota datada de 2016, disse que nunca produziu, adquiriu ou distribuiu a publicação questão, intitulada “Aparelho Sexual e Cia – Um Guia Inusitado Para Crianças Descoladas”.

“O Ministério da Educação (MEC) informa que não produziu e nem adquiriu ou distribuiu o livro ‘Aparelho Sexual e Cia’, que, segundo vídeo que circula em redes sociais, seria inadequado para crianças e jovens brasileiros. O MEC afirma ainda que não há qualquer vinculação entre o ministério e o livro, já que a obra tampouco consta nos programas de distribuição de materiais didáticos levados a cabo pela pasta”, dizia o comunicado.

Somado a este posicionamento, a Companhia das Letras, editora do livro citado por Bolsonaro, informou em redes sociais que a obra está fora do catálogo.