Haddad rebate acusação feita por Bolsonaro sobre ‘kit gay’

  • Por Jovem Pan
  • 11/10/2018 13h55
Tiago Queiroz/Estadão Conteúdo"Isso nunca aconteceu. É um desrespeito às professoras do Brasil", disse o presidenciável

Em entrevista à Jovem Pan na última terça-feira (9), Jair Bolsonaro (PSL) acusou Fernando Haddad (PT) – seu concorrente no segundo turno das eleições presidenciais – de ter criado o que ele chama de “kit gay” – material que é, na verdade, o documento “Escola Sem Homofobia”, vetado pelo governo federal em 2011.

“Isso nunca aconteceu. É um desrespeito às professoras do Brasil. Imagina se uma professora iria receber e usar esse material sem questionar. Isso é completamente impossível de acontecer”, escreveu Haddad no Twitter.

“Meu adversário está soltando mentiras na internet, dizendo que eu distribuí material impróprio para crianças com menos de 6 anos. Eu fui ministro da Educação e o que eu distribuí foi computador, ônibus e bibliotecas… Coisas que ele desconhece da escola pública”, completou.

Também nas redes sociais, o candidato do PT tem feito uma série de postagens em que pede a Bolsonaro que participe dos debates de televisão. “Eu sou leigo, mas me parece contraditório uma pessoa poder dar uma entrevista que é um debate com jornalista e não poder debater com um adversário. Eu penso que o Brasil merece um debate”, afirmou.