Ibope: 44% dos eleitores estão pessimistas com eleição presidencial

  • Por Jovem Pan
  • 13/03/2018 11h05
Marcelo Camargo/ABrQuase metade dos brasileiros (48%) não manifesta preferência por nenhum partido específico

Uma pesquisa encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) ao Ibope, divulgada nesta terça-feira (13), mostrou que 44% dos eleitores brasileiros se dizem “pessimistas” com a eleição presidencial deste ano.

Enquanto isso, 20% se dizem “otimistas” e 23%, nem otimistas nem pessimistas. 13% não responderam.

Entre os motivos, citados de forma espontânea, que geram o pessimismo na população estão a corrupção (30% dos pessimistas), falta de confiança no governo (19%), falta de opção de pré-candidatos (16%) e pouca renovação (11%).

A possibilidade de renovação (32%) e a esperança no voto e na participação popular (19%) estão entre o motivos dos 20% otimistas.

(Divulgação/CNI)

A pesquisa mostrou também que quase metade dos brasileiros (48%) não manifesta preferência por nenhum partido específico. Além disso, 72% confirmam em parte ou totalmente que votam no candidato favorito independente da sigla a que pertença.

Perfil e promessas

Entre as características mais buscadas para assumir o Planalto, estão ser honesto e não mentir em campanha (87%), nunca ter sido envolvido em casos de corrupção (84%) e transmitir confiança (82%). 78% apontaram a importância de o candidato ter pulso firme e ser decidido.

No entanto, 75% disseram não acreditar nas promessas eleitorais dos candidatos. Mesmo assim, 84% dos eleitores concordam que necessitam estrar as propostas para decidir em quem votar.

Honestidade

Questionados se preferem votar em um “candidato honesto” que defenda políticas das quais discordam, ou um “candidato acusado de corrupção”, mas que pensa como eles, 66% dos eleitores optaram pelo candidato honesto desalinhado ideologicamente e 19% escolheram a segunda opção.

Partidos

O Partido dos Trabalhadores (PT) é o partido que mais tem a confiança dos eleitores, com 19% de apoiadores, seguido por MDB (7%) e PSDB (6%). O PSOL conta com 2% de apoiadores e quase metade dos entrevistados (48%) dizem não ter simpatia ou preferência por nenhuma sigla.

Duas mil pessoas foram ouvidas em 127 cidades pelo País entre 7 e 10 de dezembro. A margem de erro é de 2 pontos para mais ou para menos.