Com 14 quilos a menos, Kelly Key diz: “me acho mais bonita que anos atrás”

  • Por Jovem Pan
  • 23/04/2015 13h43

Kelly Key no programa "Pânico"

Kelly Key no programa "Pânico"

Apesar de ter se dedicado muito tempo ao público infantil, Kelly Kely garantiu que nunca foi sua intenção primordial atingir esta faixa etária, mas, com a gravidez de seu primeiro filho, as coisas acabaram seguindo um rumo diferente. “Nunca foi minha intenção atuar para o público infantil. Fiquei grávida, tudo foi remetendo a uma coisa infantil, era mais divertido fazer show pra criança do que pra adulto”, contou a cantora ao programa Pânico no Rádio nesta quinta-feira (23).

Mais preocupada com sua forma física, Kelly Key chegou a emagrecer 14 quilos porque se achava acima do peso. “Depois que eu fiz 30 anos, falei ‘não posso mais viver sedentária, tenho que me cuidar’. Eu estava com 14 quilos a mais. Aí eu comecei a me dedicar à musculação, vejo resultado em mim e me acho muito mais bonita que anos atrás”, destacou a a cantora. E acrescentou: “Eu gosto de bumbum durinho, senão fica mole e no chão, e aí eu não gosto”.

Chamado “No Controle”, o álbum novo deixa a fase “Baba Baby” para trás e aposta nos estilos quizomba e eletrônico e um público mais maduro, visto que seus antigos fãs também amadureceram. O único “Baba Baby” que resta agora é seu novo projeto de vídeos na internet em que contará com dicas de musas fitness para traçar a trajetória necessária para alcançar o corpo atual.

A cantora também comentou que está vivendo uma ótima fase em sua vida pessoal, mantendo a família como sua prioridade. Kelly Key está casada há dez anos com o empresário Mico Freitas, com quem teve o filho Jaime, de 10. Antes, a artista havia tido um relacionamento com Latino, com quem teve a filha Suzanna, de 14 anos, que também virou um sucesso nas redes sociais devido à intensa semelhança com a mãe.

Sobre seu passado com Latino, a cantora se manteve neutra na avaliação do pai de Suzanna. “Eu tenho minha visão como mãe, eu sou presente pra caramba, estou no pé deles [filhos]. Ele [Latino] não é frequente, não existe na minha vida pessoal. Não tenho o que falar, não tenho contato”.