De volta à elite, Mancha Verde encanta Anhembi com os “Zés do Brasil”

  • Por Jovem Pan
  • 25/02/2017 23h58
SP - CARNAVAL-MANCHA-VERDE - GERAL - Carnaval SP 2017. Desfile da escola de samba Mancha Verde, válida pelo Grupo Especial, no Sambódromo do Anhembi em São Paulo (SP), neste sábado (25). 26/02/2017 - Foto: ROGERIO CAVALHEIRO/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDODe volta ao grupo especial

De volta à elite do Carnaval paulistano depois do título no grupo de acesso em 2016, a Mancha Verde apostou em um enredo inusitado para este ano: “Zés do Brasil. Um nome e muitas histórias”. A agremiação formada por torcedores do Palmeiras prestou uma homenagem aos mais de cincos milhões de Zés que existem no Brasil.

Com 3200 integrantes, cinco alegorias e 19 alas, a escola de samba foi a responsável em abrir a segunda noite de desfiles, neste sábado, e levantou a torcida presente nas arquibancadas do Sambódromo do Anhembi.

O desfile da agremiação foi dividido em quatro partes: no primeiro, foram apresentados os Josés ligados as mais diversas religiões, seguido pelos Josés que participaram da história do país. Na terceira parte, os Josés da literatura, música, televisão e no cinema foram destacados, e por último, uma referência aos contos populares com os Josés.

A bateria da Mancha Verde, liderada pelo Mestre Maradona e com a bela Viviane Araújo como rainha, chamou a atenção no desfile, principalmente nas paradinhas, quando os integrantes da escola de samba e o público cantaram o samba-enredo.

A agremiação não teve nenhum imprevisto durante sua passagem pela passarela do samba. O desfile foi encerrado dentro do tempo determinado (63 minutos), para a alegria da diretoria, integrantes e torcedores da Mancha Verde, que comemoraram bastante após o fechamento do portão.