Armandinho revela vício em smartphone: “cheguei no limite dessa loucura”

  • Por Jovem Pan
  • 16/05/2018 16h50
Reprodução/Instagram"Meus olhos foram destruídos, minha ansiedade piorou", relatou o músico

Um cara tranquilo, amante do reggae, com forte ligação com o surfe e a natureza. Essa conhecida imagem do cantor Armandinho, sucesso nos anos 2000 com músicas como Desenho de Deus e Ursinho de Dormir, esconde os problemas clássicos da vida moderna que ele revelou ter nesta semana: a ansiedade e o vício em smartphones.

A revelação foi feita através de um desabafo publicado em sua página do Instagram. “Acho triste sermos escravizados como nos filmes, algemados sem ter algemas, e pagar 7000 mil reais pra ser preso. Meus olhos foram destruídos, minha ansiedade piorou. E assim como o álcool na minha vida, o smartphone me destrói e faz com que ao invés de estar escrevendo e tocando violão, esteja usando meu tempo criativo pra imaginar sentimentos e julgar coisas que nem sempre são reais na vida dos outros”, escreveu.

Em seguida, fez um aviso. “Usarei a partir de agora este telefone convencional e uma câmera Go Pro pra viajar e mais nada. Mando as fotos e os textos para o escritório e eles postam pra mim. Não quero dizer se é certo ou errado. Cada um faz o que achar melhor da sua vida. Desculpem o desabafo, mas cheguei no limite dessa loucura toda. Sou viciado em smartphone. Não quero mais. Não tenho mais WhatsApp, mandem mensagens SMS”.

Nos comentários, o músico recebeu apoio dos fãs. Veja aqui:

Acho extremamente brega as pessoas se unirem nos restaurantes e depois de minutos se abandonarem mesmo continuando juntas. Acho extremamente burro, as pessoas viajarem e ao invés de contemplar a paisagem, ficarem jogando joguinhos. Acho extremamente perigoso dirigir ao volante no WhatsApp , acho triste sermos escravizados como nos filmes, algemados sem ter algemas, e pagar 7000 mil reais pra ser preso. Meus olhos foram destruídos, minha ansiedade piorou. E assim como o álcool na minha vida, o Smartphone me destrói e faz com que ao invés de estar escrevendo e tocando violão, esteja usando meu tempo criativo pra imaginar sentimentos e julgar coisas que nem sempre são reais na vida dos outros. Usarei a partir de agora este telefone convencional e uma câmera Go Pro pra viajar e mais nada. Mando as fotos e os textos para o escritório e eles postam pra mim. Não quero dizer se é certo ou errado. Cada um faz o que achar melhor da sua vida. Desculpem o desabafo, mas cheguei no limite dessa loucura toda. Sou Viciado em Smartphone. Não quero mais. “Não tenho mais WhatsApp”, mandem mensagens SMS. Valeu.

Uma publicação compartilhada por Armandinho (@armandinhoebanda) em