Eduardo Costa minimiza assassinato de cachorro e sofre represália nas redes sociais

  • Por Jovem Pan
  • 06/12/2018 18h19
Reprodução/Instagram"Que comece o mi mi mi", escreveu o cantor em suas redes sociais

Após a polêmica envolvendo a apresentadora Fernanda Lima, o cantor Eduardo Costa causou outro embate na web nesta quinta-feira (06) ao minimizar a morte do cachorro agredido a pauladas no supermercado Carrefour, em Osasco, São Paulo.

Eduardo compartilhou uma foto em suas redes sociais comparando a morte do cão com a morte de uma senhora de 106 anos que também foi morta a pauladas. Confira:

View this post on Instagram

É como eu penso e vou continuar pensando.

A post shared by Eduardo Costa (@eduardocosta) on

Mais cedo, Eduardo havia postado uma montagem com dois olhos. Na parte de cima, o personagem Lula Molusco do desenho “Bob Esponja” aparecia de olhos fechados com a mensagem de que ocorrem mais de 60 mil homicídios por ano no país. Abaixo, com os olhos bem abertos, a mensagem era: “segurança matou um cachorro a pauladas”. Na legenda, ele escreveu: “E o Brasil? E que comece o mi mi mi”.

Ao receber diversos comentários o condenando, ele resolveu apagar a postagem. Um dos internautas escreveu “Apagou o post por quê? Se colocou, agora dê sua cara a tapa. Não era só um cachorro. Era uma vida. Uma crueldade e não importa quem foi!”. Já outra disse: “Fique sabendo que os animais valem mais que muita gente”.

Muitos famosos, como Tatá Werneck, Hugo Gloss, Neymar e Alexandro Pato, se solidarizaram com o animal e colocaram um desenho do cão em suas redes sociais em forma de protesto.

Caso Fernanda Lima 

No programa “Amor E Sexo”, a apresentadora entoou um discurso feminista feito contra estereótipos. “Chamam de louca a mulher que resiste e não desiste. Chamam de louca a mulher que diz sim e que diz não. Vamos sabotar as engrenagens desse sistema homofóbico, racista, patriarcal, machista e misógino”.

Com a viralização do vídeo nas redes, Costa decidiu se posicionar momentos depois. “Mais de 60 milhões de brasileiros e brasileiras votaram em Jair Bolsonaro e, agora, vem essa imbecil com esse discurso esquerdista”, disse o artista. Nenhum trecho do texto de Fernanda Lima citava o presidente eleito pelo PSL ou qualquer outro político.

“A mamata vai acabar, a corda sempre arrebenta para o lado mais fraco e o lado mais fraco, hoje, é o que ela está. Será que a senhora só faz programa para bandido, para maconheiro, para esquerdista derrotado? Bolsonaro não está sozinho. O Brasil vai sabotar é a senhora, se Deus quiser. Sérgio Moro [futuro ministro da Justiça] vai começar a ajudar a sabotar”, completou o cantor.

A apresentadora evitou a polêmica e ainda justificou que a gravação do discurso havia acontecido em julho, antes das eleições. O ator Rodrigo Hilbert, marido de Fernanda, saiu em defesa dela no Instagram. “O amor que tenho por você é maior do que todo o ódio do mundo”.