Dia Internacional da Mulher: famosas celebram e protestam muito nas redes sociais

  • Por Jovem Pan
  • 08/03/2019 13h33
Reprodução/InstagramLuiza Possi está entre as celebridades que fizeram posts no Dia Internacional da Mulher

O dia 8 de março é um marco histórico feminino e, por isso, celebrado em todo o mundo como o Dia Internacional da Mulher.

Atrizes, cantoras e apresentadoras brasileiras usaram as redes sociais para falar sobre a data e, também, para protestar. Maisa, Cleo Pires, Marina Ruy Barbosa e MC Carol são algumas das famosas que fizeram posts nesta sexta (8). Confira abaixo alguns deles.

Lexa

A cantora usou o Instagram para fazer sua homenagem e dizer que espera que a conquista feminina seja cada vez maior, assim como “nossa luta, empatia e amor conquistem cada vez mais o mundo”.

Tatá Werneck

Usando a foto de uma bombeiro mulher, a apresentadora celebrou “todas as mulheres que lutaram e deram suas vidas para que hoje tivéssemos mais espaço, mais respeito e mais voz”.

Mariana Ferrão

A apresentadora do “Bem Estar” dedicou uma homenagem emocionante à sua avó, de 96 anos, que enfrenta um câncer de mama.

Maisa Silva

Maisa usou o Twitter para parabenizar todas as mulheres inspiradoras de sua vida.

Sarah Oliveira

A apresentadora citou Elis Regina para mostrar o quanto, ao mesmo tempo, avançamos e retrocedemos nos direitos femininos.

View this post on Instagram

"A mulher ganhou o direito de trabalhar – mas não ganhou muito mais que isso. A mulher continua acordando às quatro horas da manhã pra deixar o almoço pronto. Aí trabalha, feito uma louca, ganhando menos que os homens. Pra nós pessoas de classe média é mais fácil. Mas a mulher proletária, a mulher trabalhadora, é muito mais sacrificada hoje em dia" —> Essas palavras foram ditas por Elis Regina no final dos anos 70 e é triste constatar que, nesse 8 de março de 2019, Dia Internacional da Mulher, pouca coisa mudou. Em alguns aspectos, avançamos, em outros retrocedemos. Mas seguimos.. inspiradas pela voz, e a entrega de Elis Regina. E com a HONRA de ter comigo no estúdio hoje, a sua filha Maria Rita, esta Artista com A maiúsculo, mãe e super mulher que também vive a coragem de entoar sua própria voz, traçar seu próprio caminho. Obrigada, Rita, amada! Jamais me esquecerei ♥️ #8M ♀️ . #MinhaCanção Especial Elis Regina: nesta 6f e domingo, às 17h na @radioeldorado (pelo dial, app e streaming/ site) • participações lindas de @pellegrino.antonia e @aandreiahorta . semana que vem tem a 2a parte! vídeos no meu canal de Youtube

A post shared by Sarah Oliveira (@saraholiveira) on

Cleo Pires

A atriz mandou um “textão” para pedir mais reflexão das próprias mulheres no tratamento umas com as outras.

View this post on Instagram

Hj é textão e pode ser q eu erre. Mas eu quero agradecer às mulheres da minha vida. Minhas avós, minhas irmãs, minhas tias, minha mãe, mulheres que me cuidaram como se eu fosse filha delas e me ensinaram tanto. Vcs são todas minhas amigas de antes e de agora, de todas as cores, classes e etnias. A cada dia aprendo mais com vcs, obrigada pela paciência. Se não fossem vcs eu não estaria aqui, não teria conquistado o que conquistei, e que se a Deusa quiser vou conquistar mais! Quero ir junto de vcs sempre, vamos chegar juntxs. Equidade, representatividade. Vamos entender como estarmos juntas sem desvalidar a individualidade de cada uma. Vamos nos ouvir, querer nos entender. Vamos agregar valor uma à outra com nossas vivências e observações respeitando o lugar de fala da outra, vamos nos amar e implicar menos uma com a outra sem nem saber o motivo. Vamos conversar com a gente mesma quando bater a inveja e o sentimento de rivalidade que o patriarcado injetou na nossa cultura. Vamos nos manter existindo e buscando a felicidade que são as maiores formas de resistência. Não é fácil, até pq muitas de nós não têm apoio da família, estrutura financeira, e tantos privilégios que auxiliam muito na hora que a dor aperta. E não são poucas dores, principalmente das nossas manas negras, de classes mais baixas e trans aqui no Brasil. Pelo mundo à fora são tantos outros desafios tb. Temos o que comemorar e temos o que lamentar. No stories falo mais disso. Mas vamos juntxs. Particularmente, mto individualmente, ainda tento achar um equilíbrio entre meu desejo genuíno de me expôr, me sexualizar, também curtir o meu lado “material” e fútil como parte natural de existir, como um ser humano que tem desejos talvez peculiares porém inatos como qq outro, mas sem que eu seja um instrumento do patriarcado pra oprimir outras mulheres e nem q por eu gostar de ser assim eu seja oprimida e definida por isso. Pq hj em dia sei que a beleza e a sexualidade feminina são armas do patriarcado pra TENTAREM nos diminuir, nos chamar nas entrelinhas de burra ou de alguém que não se possa levar à sério.(CONTINUA NOS COMENTS)

A post shared by Will Not B Defined (@cleo) on

Luiza Possi

Além de parabenizar, Luiza também pediu pelo fim das várias formas de violência contra as mulheres.

MC Carol

Em vídeo, MC Carol alegou ter “medo de ser mulher” e relembrou a tentativa de feminicídio que sofreu no ano passado. “Não queremos flores”, bradou.

Fernanda Paes Leme

Para a atriz, ainda não é possível comemorar o Dia Internacional da Mulher pois “hoje ainda é dia de mais luta”.

Giovanna Ewbank

Abraçada com a filha, Giovanna dedicou seu post à pequena Titi para mostrá-la que a data de hoje é o dia “em que lutamos e celebramos ser quem somos”.

View this post on Instagram

Filha, hoje é o nosso dia. Não é dia de festa ou de presentes, mas uma data em que lutamos e celebramos ser quem somos. Mesmo tão pequena, você já deve ter percebido o gigantesco poder que carrega. Nós temos essa incrível capacidade de nos reinventar, superar e vencer as adversidades. Filha, você pode TUDO! Nunca deixe alguém tentar te convencer do contrário. E caso um dia alguém tente fazer você acreditar que o mundo não foi feito pra nós, que somos menores, lembre-se daquela nossa força. Nós somos milhares, milhões, bilhões de mulheres. Estamos reconstruindo esse mundo, mais justo e com espaço para todas e todos. É uma longa jornada, iniciada por aquelas que vieram antes de nós, e que seguiremos pavimentando para as próximas gerações. Estamos aqui, potencializando transformações. E seguiremos revolucionando o mundo com a arma mais poderosa que temos: o amor. Sejamos amor, minha menina. Espalhemos amor. Somos capazes do impossível e pelo amor venceremos. Sempre! Nós e todas aquelas que hoje lutam o #8M e os outros 364 dias do ano. ❤️

A post shared by Giovanna Ewbank (@gio_ewbank) on

Marina Ruy Barbosa

Recentemente envolvida em polêmicas e atacada nas redes sociais, a atriz pediu uma reflexão sobre sororidade e pediu: “Precisamos juntas desconstruir essa rivalidade que criaram entre nós”.

View this post on Instagram

Oito de março é o dia da mulher. Mas muitas vezes a gente passa por essas datas sem nem entender direito, até porque tudo hoje em dia acaba indo por um viés comercial e superficial. Esse dia existe para relembrar nossas conquistas sociais, políticas e culturais ao longo dos anos. (Tudo bem que ainda falta muito, mas…) E pra relembrar também o quanto devemos unir nossas forças. Vamos desaprender o que a sociedade ensinou sobre as mulheres. Precisamos juntas desconstruir essa rivalidade que criaram entre nós. Comece por VOCÊ a mudança que quer ver em outra mulher. Hoje em dia, uma das coisas que mais penso antes de dizer algo sobre outra é que quando eu atinjo uma mulher estou automaticamente me atingindo. Não seja uma mulher opressora. Com certeza o falar é mais fácil do que o agir. Colocar em pratica atitudes feministas diante de uma sociedade que TODOS os dias propaga a rivalidade e competitividade entre as mulheres não é fácil. Mas é um esforço diário, e olhar atento pra todas as atitudes que temos. Devemos ter atenção, ninguém sabe a dor que a outra sente, problemas, angústias, cobranças… Antes de acusar, julgar, expor, procure saber, vá atrás da verdade, pois suas atitudes e comentários podem trazer um mal irreversível pra outra mana. Uma das coisas que eu aprendi com o feminismo é não atacar outra mulher, mesmo até que ela faça isso comigo. O que nós precisamos fazer é PARAR DE NOS CULPAR. É acreditar na irmandade e solidariedade entre mulheres. Em uma sociedade que estimula a competição entre nós, a SORORIDADE vai na contramão desse conceito. #juntassomosmaisfortes #8M #feminist

A post shared by Marina Ruy Barbosa (@marinaruybarbosa) on