Aerosmith entra com pedido judicial para que Trump pare de tocar suas músicas

  • Por Jovem Pan
  • 22/08/2018 14h00
Reprodução/Facebook

Steven Tyler não está nada contente com Donald Trump. Isso porque o presidente norte-americano e sua equipe têm tocado músicas da banda Aerosmith em alguns eventos oficiais ao redor do país – sem autorização para isso. A última vez foi nesta semana quando o republicano subiu em um palanque montado para discursar a apoiadores em West Virginia com Livin’ on the Edge, faixa do disco Get a Grip (1993), ao fundo.

De acordo com a Variety, o vocalista enviou uma notificação extrajudicial à Casa Branca por meio de sua advogada, Dina LaPolt, acusando o governo de “violação intencional na transmissão da música”. O argumento é baseado em um ato local chamado de Ato Lanham, que proíbe “a designação falsa ou enganosa de fato, causada para criar confusão em relação a afiliação, conexão ou associação de uma pessoa com outra pessoa”.

Ou seja, o músico quer que essas execuções sejam interrompidas para que ele e os outros integrantes do grupo não sejam confundidos com apoiadores do presidente.

Essa não é a primeira vez em que eles se envolvem em um debate do tipo. Durante sua campanha presidencial, Trump tocou Dream On em alguns eventos oficiais. Na ocasião, a gravadora de Tyler já havia feito o pedido para que ele parasse.

O presidente passa por um período de crise em sua imagem. Nesta terça-feira (21), o advogado Michael Cohen, que já o representou, confessou ser culpado de acusações de fraude bancária, fiscal e violações de leis de financiamento de campanha. Assumiu, inclusive, que pagou a atriz pornô Stormy Daniels para que ela omitisse um suposto caso que teve com o político.