Ariana Grande revela carta emocionante sobre o ataque de Manchester

  • Por Jovem Pan
  • 30/11/2018 15h36
Reprodução/Facebook "Levo isso comigo todos os dias pelo resto da minha vida", emocionou-se

Ariana Grande lançou uma série documental no YouTube chamada “Dangerous Woman Diaries” para compartilhar com os fãs os bastidores da turnê Dangerous Woman e da produção de Sweetener. Além de momentos alegres que divide com os amigos, a produção aborda acontecimentos difíceis, como o atentado de Manchester, em 2017.

No quarto episódio, por exemplo, a cantora de “Thank U, Nest” compartilha uma carta emocionante que escreveu após 8 meses do incidente. A explosão aconteceu em maio de 2017, depois do show da turnê “Dangerous Woman”, no Manchester Arena (Reino Unido). O bombardeiro matou 22 pessoas e foi responsável pelo encerramento da turnê. Confira o relato emocionante de Ariana Grande:

“Estou escrevendo para vocês no dia 22 de fevereiro de 2018.

Já se passaram oito meses desde o ataque ao nosso show no Manchester Arena. É impossível saber por onde começar ou saber o que dizer sobre essa parte. 22 de maio de 2017, vai me deixar sem palavras e cheia de perguntas para o resto da minha vida.

A música é uma fuga. A música é a coisa mais segura que eu já conheci. Música – pop music, stan culture – é algo que une as pessoas, apresenta algumas de suas melhores amigas e faz com que elas se sintam como elas mesmas. É conforto. É divertido. É expressão. É a felicidade. É a última coisa que machucaria alguém. É seguro.

Quando algo tão oposto e tão venenoso acontece em seu mundo, que supostamente é tudo, menos isso … é chocante e de cortar o coração de uma maneira que parece impossível se recuperar completamente.

O espírito do povo de Manchester, as famílias afetadas por essa horrível tragédia, e meus fãs ao redor do mundo, impactaram permanentemente todos nós pelo resto de nossas vidas. Seu amor, força e união mostraram que eu, minha equipe, meus dançarinos, a banda e toda a equipe não seriam derrotados. Seguiram em frente. Não deixaram o ódio vencer. Ao vez disso amaram o mais alto possível e apreciaram cada momento.

O povo de Manchester foi capaz de mudar um evento que retratou o pior da humanidade em um que retratou o mais belo da humanidade. “Like a handprint on my heart (como uma marca no meu coração)”… penso em Manchester constantemente e levo isso comigo todos os dias pelo resto da minha vida.”