Gravadora encerra contrato com R. Kelly após denúncias de abuso sexual 

Desde que o documentário “Sobrevivendo a R. Kelly” foi divulgado, o nome do artista não fica fora de uma polêmicas. Agora, foi a vez da gravadora RCA (selo Sony) dar um fim na relação com o cantor.

  • Por Jovem Pan
  • 19/01/2019 12h48
Reprodução/FacebookO documentário "Sobrevivendo a R. Kelly" denunciou o cantor de diversos abusos sexuais

Desde que o documentário “Sobrevivendo a R. Kelly” foi divulgado, o nome do artista não fica fora de uma polêmica. Agora, foi a vez da gravadora RCA (selo Sony) dar um fim na relação com o cantor. As informações são da Billboard e fontes ligadas à gravadora afirmaram, na última última sexta (18), que o contrato foi encerrado: “R. Kelly e Sony decidiram se separar”. Até o momento nenhum dos lados oficializou as declarações.

O cantor é acusado de encarcerar mulheres em suas casas em Atlanta e Chicago, em um ato chamado de “culto”. O evento era usado para maquiar os abusos que aconteciam nos locais. Durante o ato ele exigia que as prisioneiras o chamassem de “Daddy” e também trocava os celulares das vítimas por aparelhos cedidos por ele, para impedir que elas pedissem ajuda.

As acusações também denunciam que Kelly gravava os encontros e, além de abusar das jovens sexualmente, também as violentava com pressão psicológica.

Kelly havia anunciado, no início deste ano, que um novo álbum estava a caminho. Desde 2016, quando seu último disco foi lançado pela gravadora RCA, ele divulgou apenas trabalhos independentes. Ao que tudo indica o novo projeto não deve continuar, pelo menos não mais com o selo Sony.